São Januário
Felippe Rocha
São Januário

O Vasco aguarda que a Prefeitura do Rio de Janeiro termine os trâmites da transferência do potencial construtivo de São Januário para poder dar início ao plano que pode ampliar a capacidade do seu estádio de 22 mil para 44 mil pessoas. O clube já tem pronto há dois anos o projeto e aguardava o melhor momento financeiro para poder executá-lo.

Segundo o que o prefeito Eduardo Paes contou em entrevista ao Panorama Esportivo, ele pretende transferir para outra área da cidade, que seria doada ao Vasco, o potencial construtivo de São Januário e permitir que o clube venda o terreno e use o dinheiro exclusivamente para a modernização do estádio.

O potencial construtivo é o direito de construir em determinado terreno, o que pode ampliar o valor. Por exemplo, é ele que determina se um local pode abrigar uma casa ou um prédio de dez andares, o que fará com que o preço aumente.

Projeto

De acordo com o vice-presidente do Vasco, Carlos Roberto Osório, a diretoria do clube deve se reunir com o prefeito ainda neste mês para tratar sobre o assunto, que já está avançado. Ele disse também que o “espírito de São Januário” será preservado.

— Pretendemos transformar o estádio em uma arena moderna e mais confortável, mas sem perder o espírito de São Januário e a ligação com a Barreira do Vasco. Nossa fachada é tombada e será 100% preservada — contou.

Ainda segundo Osório, ainda não se sabe quando as obras vão começou ou quanto tempo elas vão demorar. Mas que em algum momento o estádio precisará ser fechado para adaptações. Entretanto, a ideia é que as obras aconteçam em blocos e que São Januário precise ficar fechado de 30% a 40% do tempo total da construção.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários