Casagrande
Divulgação
Casagrande

O Presidente do Conselho Deliberativo do Atlético-GO, Jovair Arantes, deverá indenizar o ex-jogador Walter Casagrande em R$ 10 mil como reparação por danos morais, segundo decisão da 3ª Câmara de Direito Privado do TJ-SP, da última quarta-feira.

Arantes fez, durante uma entrevista, ofensas ao comentarista que o associavam ao consumo de drogas.

Arantes recorria de uma condenação anterior. A decisão por manter a indenização foi unânime por parte de todos os magistrados.

Segundo o relator da decisão, o desembargador João Pazine Neto, Casagrande havia criticado, em 2021, o clube quando toda a sua equipe foi vacinada contra a Covid-19 pela organizadora da Copa Sul-Americana, no Paraguai, onde o time iria jogar. A vacinação do time teria ocorrido, de acordo com Casagrande, antes de boa parte da população brasileira receber o imunizante.

— Se perguntassem se buscar cocaína do Paraguai era bom, ele (Casagrande) falaria que é, porque ele é viciado em droga e não está acostumado com preparo físico, com respeitar vidas, como preservar vidas — disse Arantes a um programa de rádio, segundo a decisão.

Para o desembargador, a resposta de Arantes foi desproporcional a crítica feita pelo ex-jogador. "O Autor (Casagrande) ao formular comentário a respeito dos fatos, em nenhum momento excedeu os limites de crítica à conduta do time de futebol indicado, ao contrário do Réu", apontou.

Ele ainda completou: "A resposta do Réu objetivou atingir a pessoa do Autor, enquanto pessoa, pois teceu considerações a respeito de seus atributos pessoais, em evidente excesso do direito de resposta, de modo que não se pode falar em legítima defesa", escreveu o relator sobre a resposta do dirigente.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários