Vini Jr. celebra após marcar o gol que deu o título da Champions ao Real Madrid
Reprodução / Twitter Champions League - 28.05.2022
Vini Jr. celebra após marcar o gol que deu o título da Champions ao Real Madrid

O protagonismo de Vini Jr na  final da Champions pelo Real Madrid coroou um trabalho pessoal do atacante e de sua família para que o menino de São Gonçalo comprovasse a aposta do clube espanhol em 2017, quando pagou 45 milhões de euros ao Flamengo. Mais do que a evolução em campo, o atacante de 21 anos precisou lidar com desconfiança desde que deixou o Brasil. E ao ir, viver e vencer, motivou muitos comentários carinhosos dos torcedores que acreditavam que ele vingaria.

Veja abaixo galeria de fotos de Vinícius Júnior:


Alvo de racismo no começo do ano já na Europa, Vini Jr ainda era Vinicius no Flamengo quando começou a ser apelidado de novo Negueba, outro atacante que passou pelo clube sem o mesmo brilho. O "Neguebinha", como era chamado por rivais, teve a venda ao Real Madrid questionada e muita gente chegou a dizer que ele não passaria ao time principal após um período no Real Madrid Castilla, que usa atletas recém-contratados jovens para adquirirem experiência. O apelido depreciativo voltou a ficar entre os temas mais comentados nas redes sociais após o título do Real sobre o Liverpool. Sobretudo pela mobilização da torcida do Flamengo, ainda mais orgulhosa.

Cria e torcedor
Desde antes de se tornar jogador do Flamengo, Vini era torcedor do clube. Formado em escolinha antes de atuar na base rubro-negra e chamar atenção, o garoto criado no bairro do Porto Rosa ia ao Maracanã com a torcida Nação 12, que neste sábado lhe rendeu homenagens ao lembrar da presença do agora craque mundial nas arquibancadas.

Cria de São Gonlalo, o atacante se mudou de lá aos 14 anos. Foi morar em Piedade, com um tio, que hoje cuida de sua carreira, para ficar mais perto do CT Ninho do Urubu. Ao renovar com o Flamengo antes de ser vendido aos 18 anos, Vinicius permitiu que o clube pudesse faturar mais com sua transferência para o Real Madrid — a multa rescisória era menor no contrato antigo. Para quem o conhece, tamanha lealdade não é uma surpresa. Se o futebol é sua obsessão, o Rubro-negro é a paixão. Tanto que em 2019 voltou ao clube para uma visita aos companheiros.

Esse sentimento já pulsava desde o primeiro contato com o futebol. Ganhar dos principais rivais do Flamengo sempre foi um prazer para Vinicius, algo detectado logo em sua primeira escolinha, Craquinhos de Ouro. Quando vingou como jogador do clube, integrou um projeto, o Pratas do Ninho, que tinha como objetivo trabalhar questões de alimentação, parte física e aprimorar fundamentos. Naturalmente, Vini chegou ao Real Madrid aos 18 anos ainda longe de estar pronto.

Desde então, passou a ser alvo de um trabalho minucioso não só dentro como fora de campo. Treinamentos e dieta personalizados, gestão de imagem, parceria com empresas, a marca Vini Jr fez o garoto mudar sua assinatura e seu status no mundo todo. Atualmente há oito profissionais ligados diretamente ao jogador: um manager, um assessor pessoal de comunicação, um gestor de imagem e comercial, chef de cozinha, social media, videomaker, um responsável pela logística e um gestor de saúde e performance que, no caso, é o fisioterapeuta Thiago Lobo. A família, pai, mãe e irmãos, estão sempre por perto e moram com o craque em Madrid. No momento, o atacante conta com três patrocínios: Nike, sua fornecedora de material esportivo, a grife italiana de artigos de luxo Dolce & Gabbana e os relógios Gagá Milano.

Apesar da representatividade, Vini Jr foi alvo de insultos racistas na vitória de sua equipe por 3 a 0 em cima do Mallorca, em duelo válido pelo Campeonato Espanhol no mês de abril. A emissora 'Golazo de Gol' mostrou as imagens do momento que a torcida do time da casa mandou o jovem 'pegar bananas'. O jogador tem a preocupação social em primeiro plano e hoje comanda, através de seu pai, o Instituto Vini Jr, no Brasil, para atender crianças com o esporte como ferramenta de educação.

Melhor brasileiro na Europa
Em campo, Vinicius evoluiu com a chegada de Carlo Ancelotti. De um jogador driblador apenas passou a ser fazedor de gols. Teve mais liberdade de movimentação, sem deixar de cumprir função defensiva pelo corredor esquerdo. Assim, passou a fluir melhor a parceria com Benzema. Garçom e artilheiro, Vini Jr tornou-se uma arma letal. E fecha a temporada com 22 gols e 16 assistências em 52 jogos, os melhores números de um brasileiro na Europa.

A fase do atacante que tinha dificuldades táticas e até criava, mas não concluía ou assistia com qualidade ficou para trás. O próximo desafio será a Copa do Mundo do Catar com a seleção brasileira. Antes questionado também pelas funções que desempenhava com Tite, o atacante se consolidou na equipe e é titular ao lado de Neymar. Aos 21 anos, escreve a própria história.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários