Robson Bambu em treino pelo Corinthians
Divulgação/Corinthians
Robson Bambu em treino pelo Corinthians


O Ministério Público de São Paulo pediu arquivamento do inquérito policial envolvendo o zagueiro Robson Bambu (veja galeria de fotos abaixo) , do Corinthians, que foi acusado por uma mulher de um suposto estupro. De acordo com o promotor, Márcio Takeshi Nakata, "não há indícios suficientes nem justa causa para a deflagração de ação penal contra os investigados". As informações foram divulgadas pelo portal "globoesporte.com".

O fato teria acontecido em fevereiro. A mulher e uma amiga foram para um hotel em que o jogador estava hospedado. O atleta também estaria acompanhado de um amigo. Posteriormente, Bambu teria ido para um quarto com a amiga da mulher que o acusa. E a suposta vítima teria acompanhado o amigo do zagueiro.

A mulher, que acusa o zagueiro, deu duas versões em depoimento. Na primeira afirmou ter tido relações sexuais de forma consentida com o amigo do atleta. Depois, negou o fato e disse que estava inconscientes. Em ambos os depoimentos, a mulher afirmou que acordou de manhã sendo estuprada por Bambu, que teria invadido o quarto de ambos. A amiga da suposta vítima afirmou não ter presenciado nenhuma cena do suposto estupro.

Ao decidir pelo arquivamento, o promotor citou as possíveis provas e depoimentos de testemunhas colhidos. Foram ouvidos funcionários da balada e do hotel em que os quatro estiveram presentes, além do motorista do carro de aplicativo que levou as mulheres embora.

"Ante todo esse contexto probatório, ainda que haja a palavra da vítima, afirmando ter sido abusada sexualmente, os demais elementos probatórios colhidos durante a investigação não se harmonizam com a versão da vítima, seja a primeira ou a segunda versão", afirmou Márcio Takeshi Nakata, que acrescentou:

"A sua amiga (nome omitido pela reportagem) não presenciou os fatos; apenas ouviu a vítima dizer que fora abusada sexualmente. Nenhuma das testemunhas ouvidas percebeu que a vítima (nome omitido pela reportagem) estivesse embriagada no momento da chegada ao hotel, tendo inclusive sua amiga apresentado versões contraditórias nesse ponto", disse.

Há duas semanas, a delegada Katia Domingues Salvatori apresentou relatório do inquérito sem indiciar Robson Bambu. Isso significa que o jogador do Corinthians não foi apontado pela Polícia Civil como provável autor do crime. Agora, um juiz poderá concordar com a decisão e promover o arquivamento ou discordar e remeter os autos ao procurador geral, que então terá três possibilidades: oferecer a denúncia; indicar outro promotor; insistir no pedido de arquivamento.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários