Gabigol
Divulgação
Gabigol

A nova ausência na lista de Tite não entra na cabeça de Gabigol. O atacante do Flamengo não entende o motivo de ter saído do radar do técnico da seleção brasileira.

Apesar de estar fora do chamado desde janeiro, não pretende abaixar a cabeça e segue esperançoso para ser lembrado na próxima e última oportunidade, em setembro, para os amistosos antes da Copa contra o México e uma seleção africana.

O camisa nove, de 25 anos, vê a concorrência aumentar com a convocação, desta vez, de oito atletas para o ataque sem poder competir. São eles: Gabriel Jesus (Manchester City), Gabriel Martinelli (Arsenal), Matheus Cunha (Atlético de Madri), Neymar (Paris Saint-Germain), Raphinha (Leeds United), Richarlison (Everton), Rodrygo (Real Madrid) e Vini Júnior (Real Madrid).

Isso sem falar em Antony, do Ajax, não foi chamado por estar lesionado, e Roberto Firmino, do Liverpool, atualmente no departamento médico do Liverpool. Gabi respeita a decisão e buscará seu espaço, mas o aproveitamento dado por Tite indica poucas possibilidades em reverter o quadro.

Na penúltima lista da seleção, para os jogos contra Venezuela e Bolívia pelo fechamento das Eliminatórias, Tite despistou sobre a ausência de Gabigol. “Eu prefiro não comentar. Estamos com muitos jogadores convocados", afirmou o técnico, que em janeiro havia elogiado o comportamento do atacante por se apresentar antes no Flamengo para aprimorar a forma.

Na CBF, o comentário é que Tite não morre de amores pelo jogador, e que Gabigol não tem o mesmo espírito coletivo dos demais convocados.

Em sua conta oficial no Instagram, Valdemir Silva, pai de Gabigol, publicou fotos com os feitos e títulos do filho durante a carreira. Na legenda, escreveu que seguem firmes e fortes no objetivo.

“Seguimos firmes e fortes no objetivo. Um grande guerreiro de fé nunca desiste de seus sonhos!”, escreveu.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários