Igor Junio Benevenuto
Arquivo pessoal
Igor Junio Benevenuto

A Polícia já identificou o homem que ameaçou o juiz Igor Junio Benevenuto, após o clássico entre Atlético e Cruzeiro, pelo Campeonato Mineiro. O jogo foi marcado por um pênalti polêmico que deu a vitória ao Galo. 

No Instagram, o suspeito, que é um estudante de medicina em Juiz de Fora, disse que “daria dois tiros no peito” de Benevenuto se o técnico Paulo Pezzolano fosse suspenso por reclamar da marcação do pênalti em Hulk. Na súmula, Igor afirmou que o treinador do Cruzeiro o chamou de "ladrão" após a partida.

O acusado não tem passagem pela polícia e fez a postagem da sua conta pessoal, o que facilitou ainda mais o trabalho da polícia. O caso foi encaminhado para a delegacia de crimes cibernéticos. Agora, a defesa de Benevenuto entrará com processo judicial para que o suspeito não entre em contato com o árbitro e nem vá aos estádios.

“Ele será ouvido e provavelmente será indiciado por um crime. É um crime de menor potencial ofensivo, mas não deixa de ser um crime. Isso deixa claro que as redes sociais não são terra sem lei. Se extrapolar o limite da liberdade de expressão, atacando a pessoa, já passa a ser um crime. Todo mundo tem que ter muita atenção com isso nas suas mídias sociais”, afirmou o advogado de Benevenuto, André Froes.

Ao todo, segundo o advogado, o árbitro recebeu mais de 40 ameaças e ficou sem sair de casa por medo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários