Rony celebra após marcar contra o São Paulo
Foto: Cesar Greco / Palmeiras - 10.03.2022
Rony celebra após marcar contra o São Paulo

Tabus existem para serem quebrados, como diz o ditado. E na noite desta quinta-feira (10), após 25 anos, o Palmeiras voltou a vencer o São Paulo pelo Campeonato Paulista, no Morumbi. Foi um 1 a 0 para o Verdão, em gol marcado por Rony logo no início da partida, adiada da quarta rodada.

Veja abaixo galeria de fotos do clássico:


O resultado mantém a invencibilidade do Verdão na competição e praticamente lhe garante a primeira colocação de seu grupo, o C, onde lidera com 23 pontos.

Por outro lado, Rogério Ceni conheceu sua primeira derrota em um clássico nesta sua segunda passagem pelo São Paulo, ainda liderando o Grupo B do Estadual com 17 pontos.

Na próxima rodada, o Palmeiras segue em sua sequência de clássicos. Encara domingo, às 18h30 (de Brasília), o Santos, no Allianz Parque. No mesmo dia, mas às 16h (de Brasília), o São Paulo enfrenta o Mirassol, fora de casa. 

O JOGO
Abel Ferreira mostrou logo de cara suas armas para encarar o rival. Em menos de dez minutos o Palmeiras fez jogada ensaiada em cobrança de falta, chutou uma bola na trave e fez um gol.

O primeiro desses lances veio aos 5. Após Rony ser derrubado por Arboleda na entrada da área, Wesley e Dudu fizeram a jogadinha e a bola sobrou para Raphael Veiga, que chutou bem e forte, mas para fora.

Pouco depois, aos 7, foi a vez de Wesley. A surpresa na escalação palmeirense acertou a trave de Volpi após pegar o rebote de um chute de Raphael Veiga que acabou atingindo o rosto de Diego Costa.

O São Paulo parecia perdido em campo, confuso taticamente. E o Verdão, claro, aproveitou. Aos 9, Marcos Rocha recebeu de Dudu na direita e cruzou na área treicolor. Rony se antecipou a Arboleda na entrada da área, pela direita, e cabeceou a bola na trave, mas ela bateu nas costas de Volpi e entrou.

Leia Também

Leia Também

Com 20 minutos de partida, as estatísticas já apontavam 72% de posse de bola para o Palmeiras. E foi hora de Abel colocar em prática um de seus conhecidos planos, colocar o time jogando em seu próprio campo de jogo e a responsabilidade de propor o jogo ao adversário.

De imediato, até gerou frutos. Aos 26, Arboleda cortou um cruzamento e a sobra ficou com Dudu. Ele carregou para a esquerda e encontrou Rony com um lindo toque de calcanhar. O atacante marcou, mas a arbitragem anulou marcando impedimento.

Depois, contudo, a pasmaceira reinou. O tempo ia passando e o Palmeiras, abidicou da posse de bola e de propor o jogo. Diante de um São Paulo inoperante, o jogo caiu em um ostracismo que fez a galera tricolor gritar em plenos pulmões o nome do Luciano no Morumbi.

De concreto, mesmo, o São Paulo assustou só aos 41. Após Diego Costa ser substituído por Reinaldo por contusão, Calleri recebeu na entrada área e finalizou, exigindo boa aparição de Weverton. Aos 47, Igor Gomes repetiu o feito e o goleiro alviverde repetiu a defesa.

Tricolor cresce no segundo tempo, mas retranca verde é eficiente
Na volta do intervalo, o Tricolor começou a encontrar os espaços que precisava para furar o jogo reativo palmeirense. E isso gerou boas chances ao Tricolor.

Após Gabriel Sara aparecer bem no ataque com um chute de longe, o caminho foi mostrado ao Tricolor. Aos 18, Rodrigo Nestor mandou uma bomba no gol e Weverton fez a defesa. No rebote, no meio da área, Calleri chega cabeceando de peixinho, mas o goleiro palmeirense defendeu novamente.

Animou a torcida, mas foi pouco. Passivo, o time de Rogério Ceni se mostrou ineficaz para quebrar a retranca verde. Mesmo assim chances apareceram.

Aos 30, Marquinhos dominou a bola na entrada da área, puxou pelo meio e bateu colocado por cima do gol de Weverton. A bola chegou a raspar no travessão.

Pouco, muito pouco para um time que não coneguia propor o jogo diante de um rival retrancado. Para complicar ainda mais, Rafinha chutou Rony e acabou expulso, diminuindo ainda mais o ímpeto tricolor em buscar manter o tabu ante o rival.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários