Alex Escobar
Reprodução
Alex Escobar

Conhecido por seu tom leve e divertido ao abordar assuntos esportivos, Alex Escobar adotou uma postura mais séria ao reclamar com o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), sobre uma situação que o incomodou. Na manhã desta segunda-feira (28), o jornalista deixou um comentário em publicação do político queixando-se das festas que acontecem no Hotel Nacional, em São Conrado, Zona Sul do Rio, desde a última sexta-feira.

Veja abaixo galeria de fotos de Escobar:


"Bom dia, prefeito! Vou trabalhar sem dormir desde sexta-feira graças ao festão diário em local aberto com som altaço no Hotel Nacional. O certo é bora dormir e, depois, bora trabalhar!", escreveu o apresentador ao responder no Instagram uma frase de Eduardo Paes, que dizia: "Bom dia. Esse ano o Rei Momo só assume em abril. Bora trabalhar!".

Na madrugada desta segunda-feira, Escobar também usou seus Stories para comentar incômodo com o barulho: "Tá vendo aquele ponto vermelho lá, minha gente? É festa, festa cheia, toda noite desde sexta-feira, vai até de manhã. Rapaz, incomoda muito, a noite toda. Fico imaginando os hóspedes do Hotel Nacional. O cara quer descansar, mas não tem como, não. Vai ficar sem dormir a noite toda", disse o jornalista.

Leia Também

O apresentador do "Globo Esporte" ainda criticou a decisão da prefeitura do Rio de liberar bailes privados de Carnaval, enquanto bailes de rua estão proibidos e os desfiles das escolas de samba na Marquês de Sapucaí foram adiados para o feriado de Tiradentes. "Só não pode mesmo é o desfile da Sapucaí, o resto pode. [Tem] festa privada pelo Rio de Janeiro todo. Como é que consegue permissão?", questionou antes de completar ironizando: "Boa noite pra quem conseguir dormir aí."

Algumas horas depois, o jornalista voltou aos Stories para detonar o evento realizado e pedir ajuda aos seguidores. "Aí, minha gente, 4h05 da manhã, não é possível que seja permitido um negócio desses", desabafou, explicando que a área é cercada por prédios residenciais. "Uma festa do lado de fora, som alto, cara. E que música chata, que chatisse, ninguém merece isso", disparou.

"Se alguém souber como me ajudar, se é que tem como, no país que a gente de falta de respeito com o próximo, de não se importar com o próximo. Mas qualquer coisa manda no 'direct', eu não sei o que fazer, tentei conversar, não rolou e a gente é obrigado a aturar isso o Carnaval inteiro", afirmou Alex, que contou ter ido ao estabelecimento para se queixar, mas foi informado que este tipo de programação será normal nos próximos dias. "A ideia deles é fazer direto. Não dá, né?"

"E o povo não participa disso, é uma festa privada, cara, pra gente que tem grana. Não tem benefício nenhum popular. Enquanto isso, desfile na Sapucaí, proibido. As únicas coisas proibidas no Rio de janeiro são os blocos e o desfile", lamentou.

Procurado pelo DIA, o Hotel Nacional se pronunciou sobre as reclamações de Alex Escobar através de uma nota. "Sobre a reclamação que recebeu a respeito do volume do som em uma festa neste ultimo fim de semana, o Hotel Nacional esclarece: o espaço foi locado por uma empresa do setor de eventos. Todas as licenças e laudos exigidos pelos órgãos competentes nos foram apresentadas para a cessão do espaço. No entanto, em função da preocupação em manter o bem-estar de seus hóspedes e de moradores do entorno, o Hotel Nacional entrou em contato com a organização do evento para aperfeiçoar as regras das próximas festas. Ressalta ainda que, em decisão tomada em conjunto com a empresa responsável, ficou estabelecido que as caixas de som utilizadas seriam posicionadas na direção da orla e haveria distribuição uniforme do som ao longo da estrutura, com a finalidade de reduzir os efeitos para a vizinhança".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários