Torcedor morreu baleado em confusão após derrota do Palmeiras no Mundial de Clubes
Reprodução
Torcedor morreu baleado em confusão após derrota do Palmeiras no Mundial de Clubes

O agente penitenciário José Ribeiro Apóstolo Jr. teve a prisão em flagrante revertida em prisão preventiva neste domingo, após uma audiência de custódia realizada pela Justiça de São Paulo. Apóstolo é suspeito de matar o também torcedor do Palmeiras Dante Luiz, de 42 anos, baleado ontem, nos arredores do Allianz Parque, estádio do time paulista, após a  final do Mundial de Clubes.

Veja abaixo galeria de fotos de Chelsea x Palmeiras:


O delegado do caso, Cesar Saad, da Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva (DRADE), confirmou que o agente penitenciário alegou legítima defesa em seu depoimento.

— Ele alega que teria sido abordado por um grupo de torcedores. Eles teriam duvidado de que ele fosse palmeirense. Começou então uma discussão e ele diz que foi agredido fisicamente. Para não apanhar mais, afirma ter sacado a arma e efetuado um disparo – afirmou.

Saad diz que está descartada a hipótese de o crime ter sido motivado por um acerto de contas. Apóstolo não tinha outras passagens pela polícia e o Instituto Médico Legal (IML) não identificou a presença de entorpecentes em seu organismo após o ocorrido.

Por ser agente penitenciário, o suspeito está preso em lugar separado dos demais detentos. Ainda não se sabe para qual centro de detenção ele será encaminhado.

Leia Também

As investigações, explica Saad, continuam. Uma equipe da Drade fará levantamento de todas as câmeras da área para descobrir a motivação do tumulto entre torcedores do Palmeiras. Os investigadores ainda não tiveram acesso aos registros do início da confusão.

 – (Está se encaminhando para) um homicídio qualificado por motivo fútil. Foi desproporcional a ação dele com a questão da agressão. Onde ele estava, diversos Policiais Militares faziam a segurança do evento. Não tinha como ele justificar que perderia a vida – diz o delegado.

Despedida de Dante
Na tarde deste domingo, amigos e famíliares de Dante reuniram-se no Velório Municipal de Caieiras para a despedida do torcedor assassinado nos arredores do Allianz Parque. Diversos torcedores do Palmeiras foram com bandeiras e instrumentos de bateria para homenagear o motoboy e fã de escolas de samba.

Amigos de Dante ouvidos pelo GLOBO ressaltaram o perfil agregador do torcedor "da velha guarda" da Mancha Verde. O vizinho — e corintiano — José Augusto Cassiano, de 29 anos, diz que mesmo torcendo para o rival era sempre bem-vindo nos eventos do amigo.

— Dante era o cara mais divertido do mundo. Desde ontem, não dormi, estou passando mal. Era um grande parceiro, um grande amigo. Era o "mestre Dante". Respeito total ao "mestre Dante" – lamenta Cassiano.

Em entrevista ao GLOBO, Davi Santos, outro amigo de Dante, descreveu o torcedor como "pacífico, companheiro, alto-astral e dono de uma aura cativante". Ele ainda afirmou que o rapaz costumeiramente criticava as brigas entre torcedores. De acordo com Santos, ele repetia a frase de que os torcedores deveriam "carregar a bandeira de seu time e não brigar".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários