Eduardo Berizzo
Divulgação
Eduardo Berizzo

Com uma possível volta de Jorge Jesus mais longe e a renovação de Marcelo Gallardo no River Plate, o Flamengo segue avaliando opções para o cargo de treinador em 2022. O clube fez consultas por dois argentinos: Jorge Sampaoli e Eduardo Berizzo. Enquanto o primeiro tem situação estável no Olympique de Marselha, o segundo, nome conhecido dos brasileiros, está sem clube após uma passagem ruim pela seleção do Paraguai.

Veja abaixo galeria de fotos de Berizzo:


Berizzo é um ex-zagueiro com passagens pelos gramados da Argentina e da Espanha, mercados em que teve experiências como técnico. O argentino de 52 anos foi um dos vários aprendizes do revolucionário Marcelo Bielsa (hoje no Leeds) espalhados pelo futebol. Os dois trabalharam juntos na seleção do Chile em 2007, quando Berizzo foi auxiliar técnico.

Apesar da experiência com um professor inventivo, o argentino é mais tradicional no tipo de jogo que gosta de apresentar, mas herdou o detalhismo do mestre. Um adepto do 4-2-3-1 moderno, com dois pontas, um meia ofensivo e dois volantes que alternam funções, Berizzo gosta de um time capaz de executar mais de uma proposta em campo.

Os times do argentino costumam tentar roubar a bola rápido, adiantando a linha de defesa na maioria dos jogos. Contra adversários mais complicados, o treinador tende a segurar suas linhas em seu campo, adaptando-se à partida.

Leia Também

No ataque, é um técnico que gosta de verticalizar o jogo. Na Espanha, notabilizou-se pela posse de bola ofensiva, uma troca de passes intensa buscando oportunidades para que os pontas, o meia ou o atacante penetrem nos espaços entre as linhas dos rivais. A proposta funcionou bem no Celta de Vigo, clube que o técnico argentino levou a duas semifinais de Copa do Rei e uma de Liga Europa entre 2014 e 2017.

Por outro lado, é uma ideia que exige organização e comprometimento do time treinado por Berizzo, especialmente dos defensores, que acabam sendo mais exigidos na saída de bola. No Athletic de Bilbao, time em que teve o menor aproveitamento da carreira (31.11% em 2018/19), a equipe ficou marcada pela forma fácil com que se desorganizava em campo. Na época, o técnico reforçou ter fé no seu estilo.

Leia Também

— Acredito no que faço. Precisamos revisar e corrigir o que fazemos de errado, mas sempre terei fé no meu estilo de jogo. O futebol acaba te recompensando. Deve-se apostar no seu próprio estilo, no que sabe e eu não acredito que ganharemos se jogarmos de outra forma [...] Ter a posse de bola significa que você terá de usá-la de forma inteligente.

Além de Bilbao e Celta, o técnico também teve rápidas passagens pelo Estudiantes no início da carreira, e pelo Sevilla, após a saída de Sampaoli. Começou no O'Higgins, do Chile, onde foi campeão do Apertura de 2013 e da Supercopa do Chile de 2014, seus únicos títulos até hoje na carreira. Na vida pessoal, o técnico ficou marcado por uma suposta entrevista a um jornal mexicano na qual fez xingamentos homofóbicos a jogadores do futebol francês quando ainda era jogador, em 2000. Ele nega as palavras e diz que a entrevista nunca aconteceu. Entre 2017 e 2018, ele lutou contra um câncer de próstata.

Sua última experiência como treinador acabou em outubro. Em sua primeira oportunidade numa seleção, Berizzo assumiu o Paraguai para o ciclo até o Mundial do Qatar, em 2022. Chegou às quartas da Copa América de 2019, ano em que foi contratado, e provocou um dos desafios mais complicados para o campeão Brasil naquela campanha — o Paraguai foi eliminado nos pênaltis. Mas a campanha ruim nas eliminatórias, longe da classificação, e uma goleada por 4 a 0 para a Bolívia colocaram um fim em sua passagem.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários