Gabi comemora gol marcado sobre o Bahia
Marcelo Cortes/Flamengo
Gabi comemora gol marcado sobre o Bahia

Zico (confira galeria de fotos abaixo)  é considerado o Rei do Flamengo, enquanto Gabigol assumiu recentemente a alcunha de Príncipe. E nesse monarquia rubro-negra, apesar de não haver laço sanguíneo, a Majestade saiu em defesa da Alteza. Em participação no podcast "Giro do Vicari", o Galinho falou da personalidade explosiva do atual atacante do Flamengo e defendeu o artilheiro do time de Renato Gaúcho.


"Isso (a personalidade) é de cada um. Ele está vivendo um momento diferente, é difícil saber o que está acontecendo em campo. Na minha época não tinha esse contato tão direto com o torcedor, a distância era muito maior. Hoje está muito próximo. As pessoas falam algumas coisas que, às vezes, pode se irritar. Então, é a personalidade dele, é um cara que provoca porque provocam ele. É ida e volta, não pode você só ser provocado. É um direito dele. Não acredito que ele provoque antes. Ele vai lá, comemora com a torcida, faz as comemorações… Se ele for provocado, rebate", afirmou.

Leia Também

Zico afirmou que o momento atual acaba fazendo com que qualquer brincadeira vire algo mais sério. O ex-jogador relembrou antigos artilheiros do futebol que tinham o costume de provocar e que em suas épocas não recebiam tantas críticas quanto Gabigol recebe.

"Desde que não ofenda ninguém, no esporte não podemos cortar certas coisas. Mesmo brincadeiras, em certos momentos, não pode ofender ninguém. Temos que ter cuidado no mundo que estamos vivendo. Viola faz um gol imita um porco, Donizete imita uma pantera, Paulo Nunes bota uma máscara, são coisas sadias. Hoje, as coisas ficam pesadas", disse.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários