Marquinhos Calazans
Reprodução / Instagram
Marquinhos Calazans

Após a rescisão de contrato de Marquinhos Calazans ser publicada no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF, os representantes do atleta pretendem abrir discussões judiciais para avaliar o distrato que, segundo o staff do jogador, foi realizado de maneira ilegal pelo São Paulo.

(Veja abaixo galeria de fotos de Calazans)


Em nota divulgada pelos representantes, a demissão por justa causa alegada pelo Tricolor foi questionada. O staff de Marquinhos Calazans nega qualquer insubordinação por parte do atleta perante o São Paulo.

De acordo com os representantes, o motivo que deixou o jogador de fora das atividades da equipe é físico. O staff afirma que Marquinhos segue sem poder treinar com bola por causa de uma cirurgia no joelho esquerdo, da qual ainda não se recuperou completamente.

O São Paulo, porém, buscou a rescisão do contrato justamente após o atleta não ir comparecer ao clube para dar continuidade aos tratamentos para se recuperar desta lesão no joelho.

Em resposta à rescisão, os empresários afirmam que o distrato publicado pelo São Paulo é ilegal, pois não foi feito um acordo para encerrar o vínculo entre o clube e o jogador.

Veja a nota publicada pelos empresários de Marquinhos Calazans:

- Em virtude das últimas notícias veiculadas na mídia informando sobre a publicação da rescisão do contrato de trabalho entre o atleta Marquinhos Calazans e o São Paulo Futebol Clube no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF, na última sexta-feira, o atleta vem esclarecer o quanto segue:

Leia Também

1 - O atleta refuta de forma veemente a prática de qualquer ato de insubordinação enquanto vinculado ao clube;

2 - O atleta realizou o tratamento para recuperação da cirurgia a que foi submetido fora da estrutura do São Paulo Futebol Clube por expressa autorização de seu empregador;

3 - O São Paulo Futebol Clube jamais advertiu o atleta ou o convocou para terminar sua recuperação no clube, tendo simplesmente, de forma abrupta, o comunicado de seu desligamento por suposta justa causa, a qual será objeto de discussão judicial;

4 - O atleta não se encontra plenamente recuperado de sua cirurgia e apto à prática do futebol, tendo que realizar nova intervenção cirúrgica para que possa novamente desempenhar suas atividades;

5 - O desligamento do atleta pelo clube ocorreu de forma ilegal, sem ao menos considerar a situação de saúde do atleta no atual momento; e

6 - Não houve, até o momento presente, qualquer acordo entre o atleta e o São Paulo Futebol Clube quanto aos termos e condições da rescisão contratual e do acerto da dívida existente junto ao atleta.

MAB Gestão

Calazans chegou ao São Paulo em 2019, vindo do Fluminense, que ainda possui 30% dos direitos econômicos do jogador. O atleta assinou vínculo com o Tricolor paulista até o dia 30 de junho de 2022, mas teve o contrato rescindido após jogar apenas quatro partidas pelo clube.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários