Vasco volta à campo para enfrentar a Ponte Preta, no dia 29 de agosto
Rafael Ribeiro/Vasco
Vasco volta à campo para enfrentar a Ponte Preta, no dia 29 de agosto

O Vasco teve seu pedido de suspensão da execução de R$ 93,5 milhões em dívidas trabalhistas indeferido pelo Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT-1). A decisão foi assinada por Theocrito Borges dos Santos Filho, desembargador vice-corregedor regional. As informações foram divulgadas pelo site "GE".

Com a recusa, a dívida continua valendo e o Vasco segue com fontes de receita bloqueadas . Entre as quantias retidas, estão os valores pagos pelos direitos de transmissão por Globo e Record, premiações em torneios da CBF, 30% da receita sobre o programa de sócio-torcedor, Mercado Bitcoin, Kappa, Konami, VascoTV, Banco BMG, Tim, Havan e Ambev.

Você viu?

(Confira abaixo a galeria de fotos de treinos do Vasco)

Após a decisão judicial que determinava a execução da dívida, o Vasco emitiu nota e chegou a falar em encerramento das atividades.

"A surpreendente decisão do juiz gestor da CAEX, Dr. Fernando Reis de Abreu, inviabiliza completamente o funcionamento do Vasco e o cumprimento de suas obrigações mais básicas, além de impor a liquidação de ativos operacionais do clube. Na prática, a decisão, de forma absolutamente açodada, pretende decretar o encerramento das atividades de um clube que tem a 5ª maior torcida do país e que dispõe de todas as condições necessárias para reverter o atual estado de crise econômico-financeira, como vem demonstrando no presente exercício social".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários