Léo Jance é destaque do sub-17 do Tricolor
Reprodução/Instagram
Léo Jance é destaque do sub-17 do Tricolor

Natural de São José do Rio Preto (SP), o jovem lateral de 17 anos Léo Jance é mais um talento da base Tricolor. Em entrevista exclusiva ao iG Esporte, o atleta falou sobre a trajetória até definir sua posição, como foi o período de treinos com a seleção brasileira e as projeções para a próxima temporada.

(Confira abaixo a galeria de fotos de Léo Jance)


Enquanto criança, Léo praticava motocross, chegou até mesmo a competir em algumas categorias, porém, com o tempo decidiu optar pelo futebol ao invés das corridas. Confira como foi essa mudança para o atleta:

— Não foi muito difícil, pois eu andei pouco tempo de motocross e praticava o esporte mais por diversão. Meu tio andava e eu o acompanhava. Mas meu sonho desde criança era se tornar um jogador.

Pouco tempo depois de abandonar o motocross, Léo Jance começou a treinar na escolinha do atacante Luizão. Alí, o jovem atleta viu as portas do São Paulo se abrirem para ele.

— Desde que cheguei à escolinha do Luizão, atacante ex-São Paulo, eu disputava diversos campeonatos e conquistava o prêmio de artilheiro das competições na maioria das vezes. Com esse destaque, o Luizão conseguiu um teste para mim no São Paulo. Quando eu soube da notícia, fiquei muito feliz. Para um menino tão novo como eu era na época, foi algo muito novo. Com certeza foi um sonho realizado.



As dificuldades de adaptação ocorrem em qualquer ambiente, seja escola ou trabalho. Com Léo não foi diferente.

— Quando cheguei ao São Paulo eu vi bastante diferença. Era um jogo mais intenso, mais rápido, precisava ter uma leitura de jogo mais ágil. Confesso que foi um pouco difícil de acostumar. Mas, treinando a cada dia, eu consegui adquirir isso muito facilmente.

E as adversidades também se estenderam para fora das quatro linhas. Porém, como um bom jogador de futebol, Léo Jance driblou as dificuldades e ainda obteve a ajuda de uma grande revelação da base Tricolor, que hoje atua na Europa.

Você viu?

— Quando eu tinha entre 9 e 10 anos, eu não podia ficar alojado com frequência no CT de Cotia. Então, eu ia para o Centro de Treinamento e podia passar uma semana lá. Nesta época, o Antony ainda estava jogando na base do São Paulo. Foi muito bom conviver com ele nestes dias. Um menino muito parceiro e humilde. Creio que estes momentos com um atleta mais velho e que já está brilhando na Europa ajudou em meu amadurecimento.

Quando perguntado sobre sua escolha de qual posição jogaria, Léo conta que nem sempre foi lateral e também revela qual sua grande inspiração na posição.

— Eu nunca fui lateral-esquerdo. Desde quando comecei a jogar, sempre atuei como atacante. Quando me mudei para o alojamento de Cotia, para jogar o Campeonato Paulista Sub-14, o treinador pediu para eu atuar improvisado de lateral-esquerdo, pois estávamos sem jogador na posição. Ele me deu muito incentivo, disse que eu tinha total condições de exercer a função, pois chegava bem na área. E foi assim que eu comecei a jogar na posição.

— Me inspiro no Guilherme Arana, do Atlético-MG. Ele é um excelente lateral tanto atacando, quanto defendendo. Vejo muitas das características dele, as minhas.

Colecionando boas atuações pelo São Paulo, Léo chegou a ser convocado para a Seleção Brasileira de base. O atleta conta como foi essa experiência:

— Foi uma experiência excelente e fiquei muito feliz. Que jogador não sonha em conhecer a Granja Comary e defender a Seleção Brasileira? É gratificante para um atleta fazer parte dos melhores de sua categoria. Agora, sigo trabalhando bastante, pois espero ser convocado mais vezes para a Seleção.

Agora, no sub-17, o lateral-esquerdo projeta a nova temporada junto ao São Paulo:

— Agora vai começar o Campeonato Paulista e a Copa do Brasil Sub-17. Minhas expectativas são das melhores e espero muito conquistar estes títulos com meus companheiros. Nosso elenco é muito qualificado e tenho certeza que vamos entrar nestas competições para brigar pelo título.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários