Torcida do Flamengo
CPAH
Torcida do Flamengo


Segundo o PhD, neurocientista, psicanalista e biólogo Fabiano de Abreu, os torcedores do Flamengo (veja galeria abaixo) sofreram menos com os impactos da pandemia, naquele momento em que ela foi declarada pela Organização Mundial da Saúde, em março do ano passado: “Em 2019, antes da pandemia, a torcida estava em ecstasy emocional, liberando neurotransmissores, que são mensageiros químicos no cérebro que trazem boas sensações, necessárias para a nossa sobrevivência.


Quando o surto deste vírus foi declarado, a esperança derivada daquele momento, servia como meta e, metas, como sempre digo, são motivos de vida. São necessárias para que a ansiedade não nos traga tantos pensamentos ruins já que, a esperança de recompensa motiva através de boas expectativas.”

Fabiano lembra que em meio a pandemia e toda sua consequência, “a ansiedade, que é uma pendência, quando constante e intensa, devido à mudança de rotina, receio econômico e da doença, como instinto de sobrevivência; arremete às memórias negativas no sistema límbico do cérebro, para trazer opções de perigo para que possamos reagir. Ela pede a liberação de dopamina, neurotransmissor da recompensa, que é liberada não só na esperança da vitória, mas numa maior intensidade, como óbvio, na vitória. Essa liberação cria um equilíbrio mediante a esta oscilação de emoções que ajudam na saúde mental da pessoa”, explica.

Abreu revela ainda como estes sentimentos atuam tanto nos bons quanto nos maus momentos do time, e isso afeta significativamente a mente do torcedor: “Se ele já sofre de ansiedade devido ao momento e seu time perde, perde-se também motivações depositando assim as expectativas na mídia social e, esta, por sua vez, prejudica mais ainda causando disfunção nos neurotransmissores podendo trazer doenças como depressão e perturbações”, detalha.

Para chegar a essa conclusão, Fabiano conta que escolheu 20 torcedores para fazer uma avaliação mental. E o resultado confirmou suas expectativas: “Todos, sem exceção, comentaram que depositam suas alegrias no Flamengo e, este, faz com que não sintam tanto o impacto do momento que estão vivendo. Além disso, sentimentos como esperança, expectativas, e alegria com a vitória, por exemplo, todos eles são mecanismos de liberação de neurotransmissores da recompensa que compensam a ansiedade e colocam o organismo em equilíbrio mediante a uma situação de estresse e ansiedade constante e intensa. Ajudando, inclusive, no bom funcionamento do sistema imunológico. Quando estamos mais felizes, em equilíbrio, lidamos melhor com as doenças”, finaliza.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários