Petraglia
Divulgação
Petraglia

O clima esquentou em uma reunião entre 20 presidentes de clubes da Serie A e B para a formação da liga do futebol. 

De acordo com o colunista do "O Globo", Lauro Jardim, os presidentes do Athletico Paranaense, Mario Celso Petraglia, e Guilherme Bellintani, do Bahia, trocaram insultos e só não partiram literalmente para a briga por conta da reunião ter sido realizada de formar virtual, diante da pandemia do novo coronavírus.

Tudo começou após Bellintani acusar Petraglia de querer indicar empresas para prestar serviços à Liga. Diante da afirmação, o presidente do Athetico negou que tivesse feito isso.

"Essa reunião tinha que ser presencial, afirmou Bellintani. A reação de Petraglia, porém, foi ríspida: "Se fosse presencial, já tinha acabado porque eu teria metido a mão na sua cara", apontou.

Você viu?

Após o clima melhorar, os dois presidentes pediram desculpas um ao outro, porém, a questão não ficou totalmente solucionada, com Petraglia saindo da reunião antes do seu final. "Peço perdão, mas estou cansado. Não aguento mais os 'euricos" do futebol", apontou ele, sem citar nomes.

Vale lembrar que, em junho, clubes da Série A assinaram um documento no qual entram em consenso para a fundação de uma liga na qual organizarão o Campeonato Brasileiro, algo que hoje é feito pela CBF. 

A criação da liga é vista como a mais relevante por dirigentes dos clubes, que, por sua vez, pedem mais espaço nas decisões tomadas na Confederação. O modelo seria semelhante ao que é feito na Espanha, com as duas principais divisões organizadas pela "La Liga" e as demais pela federação nacional.

O movimento tomou corpo em meio ao processo de afastamento do presidente da entidade, Rogério Caboclo, acusado de assédio sexual por uma funcionária. Mas o amadurecimento da ideia já vinha acontecendo em debates nos bastidores. A principal motivação são as dificuldades financeiras oriundas da pandemia, que prejudicou as receitas de todos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários