Maracanã
Divulgação
Maracanã

A Conmebol decidiu liberar a entrada de público na grande final da Copa América, entre Brasil e Argentina, que será realizada neste sábado, no Maracanã. A presença de torcedores foi autorizada pela Secretaria Municipal de Saúde do Rio (SMS), mas será limitada a 10% da capacidade do estádio.

(Veja na galeria abaixo imagens de Neymar e Messi na Copa América)

Cada setor do Maracanã poderá receber 10% de sua capacidade. De acordo com o decreto publicado no Diário Oficial, nesta sexta-feira, o público sentado deverá obedecer um espaçamento mínimo de dois metros entre cada pessoa ou família.

O organizador do evento, a Conmebol, ficará responsável por fazer teste de Covid-19 em todos que entrarem no estádio, no prazo de 48 horas antes do jogo. Quem testar positivo será barrado. 

Na noite da última quinta-feira, 8, o jornal “Olé” havia adiantado que 2.200 ingressos para torcedores serão liberados para cada uma das seleções. Também foi autorizada a venda de 150 ingressos para a área vip do estádio.

A possibilidade da presença de público foi confirmada após pressão da entidade sobre a prefeitura do Rio, que, em um primeiro momento, não queria liberar os torcedores, mas acabou cedendo à pressão da entidade.

A proposta da Conmebol é similar à feita para a realização da final da Libertadores do ano passado, entre Palmeiras e Santos, quando o estádio teve 10% de sua lotação máxima liberada para o evento.

Você viu?

Além destes torcedores, cerca de outras 600 pessoas, entre convidados, profissionais da imprensa e funcionários que cuidarão da segurança, estarão no local.

— Tivemos a final da Copa Libertadores, liberamos para que tivesse 5 mil convidados na época. E eles concentraram os 5 mil convidados em um setor do Maracanã, o que acabou sendo um problema e a Prefeitura multou naquele momento. A mudança que temos é essa: 10% em cada setor do estádio, ou seja, você tem um espaçamento grande entre as pessoas e, até onde eu entendo, são convidados da Conmebol, todos eles testado — disse o prefeito Eduardo Paes, na coletiva de imprensa da manhã desta sexta-feira.

Entretanto, Paes não deu indícios de que a nova liberação se estenderá a outros torneios nacionais ou locais.

— Temos aí uma excepcionalidade, que é a final da Copa América, mas ela passa a ser um evento-teste para a gente. Com muito controle e muita cautela. Já há um decreto (preparado) da SMS liberando eventos na cidade com várias exigências. Resolvi não seguir nisso porque acho que as medidas são muito difíceis de serem cumpridas — afirmou o prefeito Eduardo Paes.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, na primeira solicitação, a entidade pedia para que metade da capacidade total do estádio fosse liberado para a final do torneio; pedido este que, por sua vez, foi negado.

— O pedido inicial da Copa América para a Prefeitura era realizar com 50% de público, e a gente não acha adequado. Liberamos 10% de cada setor do estádio, para evitar aglomeração. Todas as pessoas terão o ambiente controlado por testagem e separada por dois metros para não ter aglomeração.

Entre a final da Libertadores e o momento atual, ainda ocorreu outra ocasião: a presença de 148 convidados no jogo de ida da final do Estadual, no dia 16 de maio, entre Flamengo e Fluminense, também rendeu uma multa de mais de R$ 14 mil à administração do Maracanã.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro na época, a liberação configurou uma "infração sanitária gravíssima".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários