Tóquio
Divulgação
Tóquio

A um mês da abertura das Olimpíadas de Tóquio 2020, os organizadores decidiram nesta quarta-feira banir a venda de bebidas alcoólicas nos locais de competição, após protestos públicos. O anúncio da medida ocorre dois dias após o Japão liberar a presença de 10 mil espectadores por evento, com possibilidade de voltar a fechar os portões se houver aumento do contágio por Covid-19.

Os organizadores consideravam permitir o consumo de bebidas alcoólicas nos locais de competição com restrições, mas voltaram atrás depois de receberem várias críticas nas redes, com a hashtag "cancele os Jogos Olímpicos" acumullando milhares de publicações.

"Seguindo o conselho de especialistas, o comitê organizador decidiu contra a venda e o consumo de bebidas alcoólicas nos locais do evento para evitar a propagação de infecções", disse o presidente das Olimpíadas de Tóquio, Seiko Hashimoto, a repórteres.

Segundo Seiko, a patrocinadora Asahi Breweries concordou com a decisão para proibir a venda de álcool. As vendas de álcool foram restringidas em Tóquio e arredores depois que autoridades de saúde advertiram que o consumo de álcool incentivaria o contato próximo, falar alto e se misturar em bares que poderiam ajudar a espalhar o vírus.

O secretário-geral do governista Partido Liberal Democrata do Japão, Toshihiro Nikai, defendeu nesta terça-feira a proibição da venda de bebidas alcoólicas no país durante os Jogos Olímpicos, como medida de combate à disseminação da covid-19.

- Precisamos considerar a possibilidade de banir celebrações com bebidas - disse Toshihiro Nikai a repórteres. - É importante que tenhamos uma conclusão convincente para todos.

De acordo com uma reportagem do Kyodo News nesta terça-feira, o álcool seria servido nas instalações olímpicas em horários limitados.

Você viu?

Anteriormente, Hashimoto defendeu a decisão dos organizadores de permitir a entrada dos espectadores nas instalações olímpicas. O plano recebeu críticas dos moradores da capital japonesa que enfrentam barreiras para evitar a disseminação do coronavírus.

Patrocinadores olímpicos, que investiram um recorde de US $ 3 bilhões para apoiar os Jogos de Tóquio, reduziram os planos de marketing devido ao temor de uma reação em meio à ampla oposição do público.

Questões sobre o álcool se tornaram um ponto focal para a raiva pública, em parte devido à percepção de que as autoridades estão priorizando os Jogos em vez de restaurar a normalidade na vida diária dos residentes.

O governo disse que pode realizar os Jogos sem comprometer a saúde pública. Uma quarta onda de casos de coronavírus em Tóquio atingiu o pico no início de maio, levando ao recente relaxamento das restrições, com 435 casos relatados na terça-feira.

Enquanto as vacinações estão aumentando, a maioria da população ainda não recebeu a primeira vacina 31 dias antes do início dos Jogos. Cerca de 18% dos japoneses receberam pelo menos uma dose, de acordo com um rastreador da Reuters.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários