Branco
Reprodução
Branco


Branco , ex-jogador da seleção brasileira, recuperou-se da Covid-19 após passar momentos de agonia  dentro de um hospital na Zona Sul do Rio de Janeiro. Aos 57 anos, o coordenador de seleção de base da CBF chegou a ficar intubado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Um mês depois de receber alta, Branco, sua esposa e o médico que o acompanhou, relataram em carta a prosopopeia do caos vivida por eles antes do ex-jogador virar a chave na recuperação.


Diagnosticado com coronavírus após a viagem a trabalho em Recife, quando ele e outras pessoas teriam sido contaminadas pelo vírus, Branco seguia assintomático até o décimo dia. Entretanto, sua esposa, a estudante de medicina Cleo Pozzebon, relatou que ao chegar na casa do ex-jogador, o mesmo se encontrava desidratado e com sintomas fortes da Covid-19.

- Sabe aquela fala de gente doente? Pedi para ele me mandar foto da saturação (do aparelho oxímetro). Estava em 93, não era nível de alerta. Mas a voz estava horrível. À noite, preparei marmita para ele e fui lá (no outro apartamento). Quando abri a porta, me apavorei. Ele estava desidratado, descompensado, a saturação já estava em 69, tinha febre de 39 graus - recorda Cleo.

Em 16 de março, Cleo levou Claudio Ibraim Vaz Leal para um hospital na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, antes dele ser transferido para uma UTI em Copacabana. Fumante, hipertenso e acima do peso - o ex-jogador chegou ao hospital com 130g - o médico do Copa Star comentou sobre a delicada situação de Branco.

- Ele chegou com quadro de Covid-19 avançado. Oxigenação muito baixa, tivemos que usar muitos recursos para melhorar a oxigenação dele. Já tinha recebido corticoide, mas tinha inflamação do pulmão muito intensa, até pelo sobrepeso - conta o médico João Pantoja

- A pressão dele estava 8 por 5. Ele podia parar a qualquer momento. Fiquei apavorada - completou Cleo.

Agora com 20kg a menos, Branco vive uma nova vida. Com sono em dia, fisioterapia e musculação diária, Claudio Ibraim agora se alimenta melhor e segue cuidados nutricionais para aprimorar a qualidade de sua saúde.

- Eu não parava, né? Só trabalhava, trabalhava. Agora mudou. Um amigo falou que parece que fui para um spa, não para um hospital. Nessas horas a gente pensa, repensa… O problema é que a gente não cuida da gente, só cuida dos outros. Tem que se cuidar mais, se amar um pouco mais. E não me arrependo. Sempre vou ajudar os outros. Ajudava e vou continuar ajudando, mas agora vou cuidar muito mais de mim - contou Branco.

Na carta, a esposa do tetracampeão também relatou um momento emocionante entre Branco e seu filho. O marido de Cleo estava com o pulmão comprometido e apresentava quadro de hiperglicemia perigosa pela diabetes e precisava receber insulina na veia.

A necessidade de intubação fez o médico Pantoja ligar para a estudante de medicina, que foi em direção ao hospital. Ao chegar e ver o estado do ex-jogador, ela conta emocionada que Branco teve a primeira reação quando ouviu a carta escrita pelo filho mais novo Lucca e seu enteado Pedro.

- Foi um momento trágico e bonito ao mesmo tempo. O Lucca queria falar com ele por vídeo e eu disse que não podia, mas não queria explicar naquele momento. Então ele fez uma carta. Quando cheguei e o vi intubado, me debrucei no colo dele e li no ouvido a carta... Os sinais vitais todos dele se alteraram. Ele sentiu - lembra Cleo.

Vizinho de quarto do falecido ator Paulo Gustavo, o ex-atleta, renomeado de "Mr. White" por médicos e enfermeiros, brinca ao relembrar o trabalho que deu aos funcionários do hospital.

- Quando fiquei intubado, me amarraram na cama. Depois, os médicos me contaram que eu queria dar porrada, que eu xingava as pessoas. Meus filhos, minha mulher… Eu queria fugir, sair dali. Não lembro de nada - lembrou Branco

- Ele chamava os enfermeiros e prometia dinheiro para desamarrá-lo da cama (risos). Ele não tinha noção do que estava fazendo, estava grogue ainda dos efeitos do remédio. Ele me pediu para desamarrá-lo, eu negava e ele dizia: "Você é muito chata" - completou Cleo.

Com quadro estável, os médicos que o acompanhavam decidiram pela extubação de Claudio Ibraim, que recebeu alta na véspera de seu aniversário, em 3 de abril, 17 dias após dar entrada no hospital.

Fora da CBF por cerca de um mês, Branco deixou a coordenação da base temporariamente com Juninho Paulista, responsável pela seleção de Tite. Além disso, o planejamento para as Olimpíadas de Tóquio estavam bem encaminhadas apesar dos contratempos pandêmicos. Após os jogos, o tetracampeão pela seleção brasileira irá inaugurar uma estátua em sua homenagem em Bagé cidade natal no Rio Grande do Sul.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários