Paulo Mariano
Reprodução
Paulo Mariano


O Náutico soltou uma nota oficial nesta quinta-feira se posicionando contra a prisão de Paulo Mariano, de 27 anos, massagista do clube. O clube disponibilizou o departamento jurídico do clube para atendê-lo e afirmou não duvidar da inocência do funcionário, que está preso desde o dia 24 de fevereiro acusado de participar de um assalto a ônibus em dezembro de 2018. O elenco do Alvirrubro, inclusive, também trabalha para a libertação de Paulinho.

- Ciente do fato, o departamento jurídico alvirrubro passou a prestar todo tipo de assistência e apoio à família de Paulo. A pasta também teve acesso ao inquérito policial. O processo em questão é de 2019. Nele, há o endereço e dados de Paulo Mariano, mesmo assim ele nunca foi intimado a depor. Diante da ausência de provas concretas nos autos, não duvidamos da sua inocência - diz o Náutico na nota.

No fim, além de destacar que Paulinho é uma pessoa digna e um funcionário exemplar, o Náutico afirmou confiar na justiça e pediu para que ela seja feita.

Entenda

De acordo com as informações, o assalto ao ônibus ocorreu no bairro de Joan Bezerra, na região central de Recife, mas a alegação dos advogados é que Paulo Mariano não estava presente no fato e não tem ligação alguma com o crime. Há inclusive fotos postadas nas redes sociais do massagista com a esposa e familiares na data referente.

Veja abaixo a nota publicada pelo Náutico:

"O Clube Náutico Capibaribe vem a público esclarecer os fatos acerca da prisão, na nossa visão errônea, do massagista da equipe profissional alvirrubra, Paulo Mariano de Arruda Neto. Paulinho, como é carinhosamente chamado por todos que fazem o dia a dia do CT Wilson Campos, foi preso no último dia 22 de fevereiro, acusado de participar de um assalto a ônibus no dia 25 de dezembro de 2018.

Paulinho havia chegado para trabalhar, assim como fazia todos os dias, quando foi conduzido por policiais civis até a delegacia. Desde então, o massagista encontra-se preso no Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (COTEL), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife (RMR).

Ciente do fato, o departamento jurídico alvirrubro passou a prestar todo tipo de assistência e apoio à família de Paulo. A pasta também teve acesso ao inquérito policial. O processo em questão é de 2019. Nele, há o endereço e dados de Paulo Mariano, mesmo assim ele nunca foi intimado a depor. Diante da ausência de provas concretas nos autos, não duvidamos da sua inocência.

Paulo Mariano de Arruda Neto é pai de duas crianças, casado e funcionário exemplar. Possui emprego fixo, ao qual exerce de maneira digna e honesta. Paulinho é querido por todos que fazem o Clube Náutico Capibaribe, sejam dirigentes, funcionários, atletas ou comissão técnica. Entendemos o papel e a importância da Justiça para a nossa sociedade, por isso pedimos que ela seja feita e o nosso amigo liberto.".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários