Cartolouco
Resende
Cartolouco


Em mais um episódio de uma websérie que está produzindo desde que foi contratado pelo Resende , Lucas Strabko , o Cartolouco , se passou pela primeira vez por um profissional do departamento de futebol do clube. Ele vivenciou e sentiu na pele o exaustivo e prazeroso trabalho de um roupeiro em dia de jogo, na estreia do Gigante do Vale no Campeonato Carioca . E ainda ficou com fama de pé-quente, já que a equipe venceu o Fluminense por 2 a 1, no Maracanã.

A websérie se inicia com Cartolouco se apresentando ao técnico Sandro Sargentim após um treino. Na conversa, é comunicado que será relacionado para a partida, e não se contém de alegria. Mas sua feição logo muda quando, na sequência, o treinador lhe avisa que ele vai para o jogo, sim, mas não como jogador. Ali começa o episódio “Um Dia de Roupeiro”, uma saga com a turma que comanda o vestiário, muito respeitada e adorada pelos jogadores.

Você viu?



O pontapé inicial se dá ainda em Resende , Região Sul-Fluminense, de onde Cartolouco já segue com os roupeiros rumo ao Maracanã duas horas antes de todo o elenco, como de praxe, para já deixar o vestiário e os uniformes prontos para quando a delegação chegar ao estádio. 

Antes de partirem, são submetidos ao teste de Covid-19 , uma exigência antes dos jogos. E se surpreende ao presenciar que a vida de um roupeiro é tão importante como a de qualquer outro integrante do departamento de futebol. Tudo precisa estar em ordem, nos mínimos detalhes.

Já no vestiário, aprendeu que, habitualmente, o Resende leva para as partidas, para cada jogador, dois uniformes brancos e dois listrados – define-se um deles com a arbitragem para saber qual cor o adversário usará. Arrumar camisa, short, meião, chuteira e caneleira no “casulo” de cada um é a primeira tarefa do roupeiro, que ainda precisa recolher e contar todas as roupas de concentração que ficaram jogadas por ali. Após a distribuição dos coletes, todos seguem para o aquecimento.



E o trabalho continua no intervalo, um momento tenso, com a adrenalina a mil dependendo do resultado do jogo. Sai a camisa suada, entra a camisa nova. Toalhas surgem para secar tanto suor. Mais material sujo para o cesto. O time retorna para o segundo tempo e, de virada, no último lance do jogo, o Resende vence, Cartolouco vibra e ganha dos jogadores a alcunha de pé-quente.

Festa no vestiário, mas o trabalho do roupeiro está longe de terminar. Ainda precisam recolher e contabilizar todo material, deixar o local limpo, como receberam, pegar a estrada de volta e levar tudo para a lavanderia do clube.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários