Eduardo Bandeira de Mello
Gilvan de Souza/Flamengo
Eduardo Bandeira de Mello


Seis ex-presidentes do Flamengo divulgaram, nesta quarta-feira, uma nota de solidariedade a Eduardo Bandeira de Mello . O ex-mandatário foi um dos 11 indiciados pelo Ministério Público na investigação sobre a tragédia no Ninho do Urubu , que matou 10 jovens da base rubro-negra em fevereiro de 2019. A ação é considerada uma injustiça pelos dirigentes.

Assinaram a carta Eduardo Motta, George Helal, Hélio Ferraz, Kleber Leite, Luiz Augusto Veloso e Márcio Braga. Um dos argumentos usados em defesa de Bandeira de Mello afirma que "não é da alçada do presidente do clube verificar item a item o andamento logístico do clube".

Você viu?


CONFIRA TRECHOS DA CARTA:

Os ex-presidentes do Clube de Regatas do Flamengo, abaixo assinados, vêm através desta, manifestar estranheza pelo fato de o ex-presidente Eduardo Bandeira de Mello ter se tornado réu no triste episódio, de amplo domínio público, no centro de treinamento George Helal, mais conhecido como Ninho do Urubu.

A nossa ação passa ao largo do corporativismo. Aqui estamos motivados pelo sentimento de justiça, pois pelo fato de já desempenhado esta mesma função, sabemos que, embora seja o regime presidencialista, nem tudo que ocorre é de conhecimento do Presidente do clube.

(....)

Em linguagem popular, seria exigir que o presidente batesse o córner, corresse para cabecear e tendo ainda a obrigação de fazer o gol.

Impossível e desumano.

Embora ainda impactados e com os nossos corações partidos pelos nossos meninos do Ninho, não podemos cruzar os braços e assistir de camarote tamanha injustiça.

Este indiciamento tem como base o desconhecimento do estatuto que rege a vida de um grande clube.

Por uma questão de justiça, urge imediata reflexão por quem de direito.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários