Ceni
Divulgação
Ceni

A derrota no clássico para o Fluminense  foi a gota d'água na paciência da torcida do Flamengo, que ficou ainda mais longe do título do Brasileirão desse ano.

Além de alguns jogadores, o técnico Rogério Ceni foi eleito pelos torcedores como um dos grandes culpados pela má fase do time. Para piorar, os números do treinador à frente do Rubro-Negro justificam tal pressão. Em 11 jogos sob o seu comando, o Flamengo tem apenas 48,5% de aproveitamento, o que o coloca como o terceiro pior nos últimos 10 anos.

De acordo com um levantamento feito pelo jornal Extra, os números do ídolo do São Paulo só não são piores que de Ney Franco (2014), com 14%, e Cristóvão Borges (2015), com 46%. Os citados tiveram 14 e 18 jogos, respectivamente.

Ceni também está atrás do antecessor, Domènec Torrent, que teve 64,1% em 26 partidas, o quinto melhor desempenho pelo clube. Mano Menezes (2013) e Oswaldo de Oliveira (2015), ambos com 50%, também foram melhores.

Ao todo, Rogério soma quatro vitórias, quatro empates e três derrotas, além das eliminações recentes na Libertadores (nas oitavas de final para o Racing) e na Copa do Brasil (nas quartas para o São Paulo). O Flamengo também foi ultrapassado pelo Internacional no Brasileirão e agora está na quarta posição.

Diante de uma pressão cada vez maior, Ceni tem que mostrar trabalho rapidamente. O Flamengo volta a campo no próximo domingo, às 16h, para enfrentar o Ceará, no Maracanã. Caso não vença, o treinador pode se despedir precocemente do clube.

Piores aproveitamentos

Ney Franco (2014) — 14%.
Cristóvão Borges (2015) — 46%
Rogério Ceni (2020) — 48.5%
Mano Menezes (2013) — 50%
Oswaldo de Oliveira (2015) — 50%

Melhores aproveitamentos

Jorge Jesus (2019-2020) — 81,3%.
Abel Braga (2019) — 71%
Carpegiani (2018) — 70,6%
Dorival Júnior (2018) — 66,7%
Domènec Torrent (2020) — 64,1%

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários