Lance

Lucas Veríssimo%2C zagueiro do Santos
Ivan Storti/Santos
Lucas Veríssimo, zagueiro do Santos


Para o Santos , a semana da decisão pela vaga na final da Libertadores já começou. Nesta quarta-feira (6), o Peixe encara o Boca Juniors, em La Bombonera, na Argentina, pelo confronto de ida da semifinal da Libertadores, mas antes a nova diretoria santista e a comissão técnica do clube vivem a expectativa de saber se o zagueiro Lucas Veríssimo jogará contra o Boca.


O defensor não atua desde o dia 16 de dezembro, na vitória por 4 a 1 do Peixe, contra o Grêmio, pelo confronto de volta das quartas de final da Libertadores, na Vila Belmiro, o motivo: a sua cabeça estava na transferência ao futebol europeu e ele estava com receio disso atrapalhar o seu desempenho em campo. O camisa 28 recebeu uma proposta do Benfica (POR) no dia 6 de novembro, que foi aprovada pelo Comitê de Gestão e Conselho Fiscal do Peixe à época, mas barrada pelo Conselho Deliberativo.

Naquele momento, a administração do Santos estava abaixo do artigo 91 do Estatuto Social, que prevê que todas as decisões envolvendo ao futebol nos últimos três meses de gestão presidencial precisam da aprovação dos conselheiros. Agora, com a nova administração iniciando os trabalhos nesta sexta-feira (1º de janeiro), a liberdade do Comitê Gestor em conduzir a negociação com o clube português aumenta.

Os Encarnados estão propondo o pagamento de 6,5 milhões de euros (R$ 40,9 milhões) por Veríssimo, com uma entrada no ato da compra mais três parcelas anuais, até 2023.

O impasse de momento é quando o zagueiro seria liberado. A diretoria santista busca a manutenção do atleta até fevereiro, para que ele dispute a fase final da Libertadores. Para isso, será necessário não só uma boa articulação com os lusitanos, como uma recuperação de moral de Lucas Veríssimo , ansioso para migrar ao Velho Continente.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários