O time italiano Juventus  foi acusado por promotores de tentar adiantar o processo da liberação do documento que consta a cidadania italiana do jogador Luis Suárez .

A trapaça seria no exame obrigatório de idioma, exigido para a inscrição. O reitor da Universidade para Estrangeiros de Perugia, onde Suárez teria sido aprovado no exame em Setembro, e mais três funcionários, estão sendo investigados por fraude. Eles foram temporiamente afastado de seus cargos. 


A cidadania seria necessária, já que durante a contratação o time italiano não poderia superar a cota pré-estabelecida de jogadores estrangeiros, ou seja, de fora da União Europeia.

O procurador de Perugia, Raffaele Cantone , assumiu que o conteúdo da prova havia sido repassado para o jogador de antemão e que a pontuação já estava determinada antes mesmo da realização do teste.

A Juventus não comentou nada a respeito e o jogador idem. Suárez assinou com o Atlético de Madrid no final de setembro, sem se pronunciar sobre o ocorrido.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários