Lance

Galiotte
Divulgação
Galiotte


Muito pressionado por parte do conselho, que exigia o retorno da divulgação das números financeiros, a direção do Palmeiras decidiu pela retomada da transparência na prestação de contas. Os dados do balancete foram revelados por meio do site oficial do Verdão.

As contas apontam, até agosto, um déficit de R$ 136,6 milhões. Aprovado pelo COF (Conselho de Orientação e Fiscalização), o balanço mostra um aumento de R$ 21 milhões nos valores que diziam respeito até o mês de Junho.

Opção do conselho gestor e da presidência, a divulgação pública dos balanços foi a resposta da direção à pressão sofrida pelos movimentos de conselheiros que pediam pelo retorno da ‘transparência e da verdade para com o torcedor’.

O tamanho do prejuízo

Todos os estragos e rendas perdidas em virtude da pandemia, como ausência de torcida, mudança de calendário e valorização cambial, que afetam diretamente no pagamento de contratos firmados em moedas como euro e dólar, impactaram diretamente no crescimento do déficit.

Buscando recompor esse cenário, o Palmeiras tem se dedicado às vendas e feito novas aquisições com bastante prudência. Prova disso é que no semestre atual o Palmeiras já conseguiu vender algo próximo aos R$ 100 milhões. Receita que ainda não foi contabilizada nos balancetes divulgados.

Sem cortar funcionários, sem desabonar contratos já estabelecidos e sem descumprir prazos, o Palmeiras tem de lidar com quedas importantes, também, na renda do Avanti, que perdeu membros. Ainda assim, o Verdão vive uma situação consideravelmente controlada. Contornável em médio prazo.

    Veja Também

      Mostrar mais