Atlético-MG x Flamengo
Reprodução/Instagram Atlético-MG
Atlético-MG x Flamengo

O fim de turno e o início do returno do Flamengo dão sinais preocupantes. A equipe de Domènec Torrent não conseguiu vencer nenhum dos principais concorrentes pelo título do Brasileirão . Primeiro o empate com o Inter, depois a goleada para o São Paulo, e agora, neste domingo, uma derrota para o Atlético-MG marcada por um atropelo do adversário sobre um sistema defensivo que vem se desmantelando ao longo dos últimos jogos.

O time de Jorge Sampaoli precisou de apenas sete minutos para fazer dois gols e terminou batendo o atual campeão brasileiro por 4 a 0. Além de uma atuação pavorosa da zaga, o Flamengo também esteve em dia ruim na criação e na finalização. Essa foi a quarta partida que o time teve a chance de assumir a liderança do Brasileirão, mas desperdiçou outra vez. E ainda ganhou o rótulo de segunda pior defesa da competição, com 29 gols sofridos, atrás apenas do Goiás, lanterna, com 33.

O Atlético-MG marcou com Sasha, duas vezes, Keno e Zaracho. Foi o décimo sexto jogo em que o Flamengo levou gols no torneio. E novamente um placar elástico. Só em quatro passou ileso. Com a decisão de escalar Gustavo Henrique, que vem em má fase, Dome expôs o time e o jogador. No primeiro ataque adversário, o defensor não alcançou Sasha, que fez 1 a 0. Na jogada pela esquerda, Filipe Luis não teve cobertura e não fez o corte.

Em seguida, o Galo trocou passes na intermediária e dessa vez abriu o jogo com Keno, pelo lado direito da defesa rubro-negra. O atacante conseguiu receber, armar o chute e acertar o canto, enquanto Isla tentava fazer linha de impedimento. Mal deu para respirar, 2 a 0 no placar.

O Flamengo entrou com uma postura ofensiva, e deixou sua defesa desprotegida. Os atacantes pressionaram a saída de bola do Atlético-MG, e a segunda linha de marcação novamente ficou menos compacta do que deveria para diminuir os espaços.

No ataque, o time de Dome não conseguiu criar situações de perigo real no primeiro tempo, mas as duas equipes finalizaram pouco. A diferença é que o Atlético-MG foi eficiente no ataque. E também na defesa. As armas do Fla, como as subidas de Isla e Bruno Henrique, foram bem bloqueadas. Restaram os cruzamentos de média distância, aleatórios.

No começo do segundo tempo, Pedro acertou o travessão após bola levantada, e no rebote Bruno Henrique desperdiçou com o goleiro caído. Mais adiante, o mesmo Pedro finalizou bem, mas Everson defendeu. O volume do Flamengo aumentou. O time carioca passou a liderar em número de finalizações. Mas os donos da casa estavam impetuosos.

Em contra-ataque, 13 minutos, Arana fez boa jogada pela esquerda e serviu Sasha, que mergulhou e cabeceou entre as pernas do jovem Hugo Souza. O que era dramático piorou. Sem pernas para reagir, o Flamengo ainda perdeu Filips Luis, que sentiu um incômodo na coxa. Dome colocou Michael no lugar de Thiago Maia. E depois Gabigol e Lincoln, nas vagas de Pedro e Éverton Ribeiro. Faltavam 15 minutos. E o time já estava praticamente entregue. O quarto gol do Galo em contra-ataque fechou o caixão.

    Veja Também

      Mostrar mais