undefined
Marcelo Bertoldo
Seca de gols liga o alerta na Colina após sequência sem balançar as redes

Há três jogos sem marcar, o ataque do Vasco vive o maior jejum do Ramonismo . Curiosamente, a seca coincide com a de Germán Cano , o mais fértil atacante cruzmaltino em 2020, com 16 gols em 26 jogos.

A sequência, marcada por duas derrotas e um empate, teve como consequência a perda do lugar no G-4 do Brasileiro e a eliminação na Copa do Brasil .

Após testar positivo para o novo coronavírus, Ramon Menezes reassume o comando do Vasco contra o Red Bull Bragantino, amanhã, em São Januário, em busca de soluções para aumentar o poderio ofensivo vascaíno.

Sopro de criatividade no meio de campo, Martín Benítez , bem marcado nos dois clássicos com o Botafogo, teve pouco espaço para municiar o compatriota Cano.

Ciente de que o entrosamento da dupla não é segredo para os adversários, Ramon não descarta mudanças para provar que a equipe não depende exclusivamente da dupla argentina para vencer. Recuperado de uma lesão muscular, Vinícius é aposta para agitar o ataque, com muito drible e velocidade.

Apesar da má fase, Talles Magno deve ser mantido na outra ponta. Com um gol marcado em 21 jogos, a promessa com multa na casa dos R$ 300 milhões, não repetiu em 2020 as atuações que o colocaram na lista de revelações do Brasileiro de 2019 e no radar de gigantes europeus. Sem um reserva com as mesmas características, Ramon insiste no atacante, de 18 anos, mas pensa em outras formas de aumentar a leveza e poder de criação do Vasco.

Nesse sentido, Fellipe Bastos corre o risco de barração pelo aspecto tático, pois tecnicamente vive uma boa fase. O bom passe e maior velocidade na transição colocam Marcos Júnior e Carlinhos na disputa pela vaga de olho no Red Bull Bragantino.

De olho no G-4, o treinador não quer perder a chance de dar uma resposta imediata após a queda na Copa do Brasil, principalmente em casa.

    Veja Também

      Mostrar mais