Walter Feldman, secretário-geral da CBF
Divulgação
Walter Feldman, secretário-geral da CBF

Tudo indica que a partida entre Palmeiras e Flamengo , no próximo domingo, pelo Campeonato Brasileiro, não deve ser adiada. Mesmo após o pedido por parte do Rubro-Negro, que teve 12 membros de sua delegação testando positivo para Covid-19, o secretário-geral da CBF , Walter Feldman, descartou a possibilidade. Segundo o mandatário, o jogo deve acontecer. Além da entidade, o Palmeiras também não está disposto a suspender a partida .

— A regra é igual pra todos. Pra CBF, não há diferença entre o Flamengo, o Goiás ou o Bahia. Nós recebemos o pedido ontem à noite, mas o jogo deve acontecer. Quando o clube tem infectados, os jogadores são separados e o time continua jogando. Só adiaria a partida se eles não tivessem a quantidade mínima pra entrar em campo, não é o caso — disse Feldman , à Rádio Bandeirantes.

O secretário-geral disse que o fato do Goiás ter enfrentado o Palmeiras mesmo após vários atletas testarem positivo pra Covid-19 pesa pra que o pedido de adiamento seja recusado.

— Não há diferença entre Goiás, Flamengo, Atlético-MG ou Bahia. Todos são tratados de maneira igualitária — completou.


No pedido, o Flamengo diz que "o cenário é excepcional porque os jogadores conviveram por oito dias durante a viagem" e "é possível que exista casos de "falso negativo" no restante do elenco". O documento foi assinado pelo vice-presidente juridico, Rodrigo Dunshee de Abranches.

O Flamengo se diz ainda "em situação de desigualdade em relação ao Palmeiras por conta do problema e requer o adiamento da partida". O Palmeiras, no entanto, diz não aceitar o adiamento e reforçou a confiança no protocolo de saúde da competição.

    Veja Também

      Mostrar mais