Lance

Rafinha se despede do Flamengo
Reprodução / Flamengo
Rafinha se despede do Flamengo

O último ato de Rafinha no Ninho do Urubu foi marcado por lágrimas, muitos agradecimentos e mais lágrimas ainda. O lateral-direito, de 34 anos, explicou os motivos que o fizeram deixar o Flamengo e aceitar a proposta do Olympiacos, da Grécia. E o pronunciamento derradeiro foi: "É um até breve".

As palavras vieram através de uma entrevista coletiva, cujo início foi marcado por uma brincadeira de Gabigol: o atacante levou isotônicos para brincar com o lateral-direito, que inciava um pronunciamento, já emocionado, antes de responder aos jornalistas.

- Não vai chorar, não, chorão - satirizou Gabigol, mas sem evitar o fato.

As primeiras lágrimas vieram neste momento. E Rafinha iniciou a sua fala:

- Foi uma decisão difícil. Tive que pensar muito bem. Com a cabeça e o coração partido, decidi ir para Grécia. Saio com a sensação de dever cumprido. .. Toda semana praticamente eu gostava de fazer um churrasco, não tinha motivo para fazer nada e eu falava para fazer, porque a gente precisava estar unido... Acho que esse é um segredo, estar unido - falou, afirmando que "nunca se arrependeu" de alguma decisão na carreira.

- Meus companheiros são provas de que dei meu sangue todas as vezes que entrei em campo para conquistar coisas grandes pelo Flamengo. Em alguns momentos, fui para o sacrifício. Tive uma lesão no rosto e uma pessoal não encararia aquilo. Pelos meus companheiros, encarei e deu resultado. Vivi momentos que vão ficar marcados. O embarque para Libertadores, a volta em cima do trio... são coisas que ficam marcadas - emendou.

Rafinha afirmou que tomou a decisão com o "coração partido", além de externar, em diversos momentos da coletiva, que deixaria o coração "aqui". Houve ainda agradecimento à torcida, inclusive à organizada Raça Rubro-Negra.

- É um momento difícil. Vim buscar esse desafio de triunfar no Brasil e consegui. O que fica marcado é que tentei e deu certo. Realizei sonhos de ser campeão brasileiro, da Libertadores, conquistar títulos pelo Flamengo. Essa é a parte mais importante - salientou, emendando sobre os torcedores:

- O amor e a paixão que os torcedores têm por esse clube eu nunca vi parecido na minha vida. Agradeço aos torcedores que fizeram com que eu passasse por isso. O que eu vivi e vivo nas ruas é impressionante.

ELOGIOS A ISLA

Rafinha assinará com o time grego por duas temporadas. Para repor o setor, o Flamengo agiu rápido e está perto de anunciar o chileno Mauricio Isla, elogiado por Rafinha após uma pergunta sobre o lateral-direito.

- É um grande jogador. Procurei informações dele com o Vidal, companheiro de seleção chilena. Está vindo para um grande clube. Está bem servido... Tem uma carreira brilhante e muita experiência na Europa. Está vindo para um dos maiores do mundo.

'É UM ATE LOGO'

Rafinha se despede do Flamengo com 46 jogos e seis assistências. Além dos títulos, o capítulo mais marcante de sua trajetória. Foram cinco, ao todo: uma Libertadores, um Campeonato Brasileiro, um Campeonato Carioca, uma Supercopa do Brasil e uma Recopa Sul-Americana.

- Não é um adeus. É um até logo. Uma vez Flamengo, sempre Flamengo - encerrou o pronunciamento, com a voz embargada e olhos marejados.

Confira outros trechos da despedida de Rafinha:

Domínio do grupo

- Quando eu vim, eu estava com medo. Eu não tinha noção do que era o Flamengo. Vim e consegui dominar o grupo. Isso foi uma vitória na minha vida.

Prêmio' pelo interesse da Europa

- É um prêmio com 34 anos ainda ter mercado no futebol europeu. Todo jogador sonha em jogar na Europa com 18, 22, e eu com 34 tenho mercado... Não é só pela parte financeira. Para mim, é um prêmio receber essa proposta com 34 anos e voltar a jogar a Champions. Minha cabeça está tranquila. Vim para o Brasil com um desafio e conquistei.

Conversas anteriores para renovar com o Fla

- Não é que não avançou (a renovação). Meu representante tinha uma reunião marcada com o Flamengo para esta segunda-feira, mas não aconteceu porque chegou a proposta. O Flamengo fez tudo para que eu permanecesse.

Contraproposta do Fla e momento da equipe

- Fizeram uma contraproposta muito boa, mas já estava decidido na minha cabeça. Queria viver isso, deixei claro o meu desejo. Devido a tudo isso que está acontecendo no mundo. O Flamengo vive um momento maravilhoso, ganhou tudo. [...] Perdeu dois jogos, mas o momento de instabilidade é zero. Ganhamos 50 jogos atrás. É um técnico novo, competição nova, sem torcida... É um momento em que quero um desafio novo.

Churrascos para unir o elenco

- (Em choro) Esse moleques sabem muito o quanto que eu me dediquei para que o grupo seguisse fechado. Tenho esse espírito de liderança, coloquei algumas regras que uns gostavam, outros não. Sempre tentei deixar o vestiário com o melhor ambiente possível. Por isso, fiz muitos churrascos. Todos têm problemas em casa, mas tentei deixar o ambiente de trabalho bem.

Samba na Grécia?

- O Diego (Alves) perguntou quem vai fazer samba na Grécia. Trouxeram até meus instrumentos para matar a saudade um pouco. Meu coração está apertado, mas é um desafio novo, estou feliz.

Confiança em João Lucas

- Falei com o João, sim. Todo mundo sabe a confiança que ele tem do grupo. É um menino muito bom e que precisa ter continuidade para mostrar a qualidade que tem. Não gosto de ficar falando de quem não está aqui por não ser problema nosso. São bons jogadores

Saída de Jorge Jesus pesou?

- Não interfere em nada na minha saída. Ele já está no Benfica, não está mais com a gente. O futebol é muito dinâmico, treinadores vão e voltam, jogadores também... Então, não adianta fazermos planos. As coisas acontecem de um dia para o outro. 

    Veja Também

      Mostrar mais