Lance

Lance

A paz financeira não é uma palavra muito presente no dia a dia do Cruzeiro . A Raposa está com mais um problema com um credor. O Al Wahda , dos Emirados Árabes, pediu à FIFA o rebaixamento do clube mineiro por não ter recebido R$ 5,3 milhões que tem direito pelo empréstimo do volante Denílson, em 2016.

f
Divulgação/Mineirão
CClube pediu rebaixamento do Cruzeiro



O próprio presidente do Cruzeiro , Sérgio Santos Rodrigues, passou a informação durante a reunião com conselheiros, na noite de segunda-feira, 3 de agosto, na sede do clube, no Barro Preto.

Na apresentação de Santos Rodrigues, que havia levado para o conselho a pauta de liberar a venda de um imóvel do Cruzeiro para levantar dinheiro e quitar dívidas na FIFA, ele mostrou um slide sobre a solicitação foi feita pelo Al Wahda, que ocorrera há duas semanas.



O dirigente da Raposa afirmou que não recebeu a notificação da FIFA e reforçou que vender o imóvel localizado em frente à sede campestre do Cruzeiro, na Pampulha, evitará que se faça uma busca frenética por dinheiro para evitar outra punição.

O clube mineiro já foi punido pela entidade máxima do futebol com a perda de seis pontos no Brasileiro da Série B justamente por não pagar aos árabes. O prazo final era até o dia 19 de maio deste ano, após todas as instâncias da FIFA terem sido acionadas em quatro anos de disputa jurídica. 

- Temos o problema do Al Wahda, que já causou a perda de seis pontos do Brasileiro. O Al Wahda está pedindo agora a execução do não pagamento, até hoje, destes seis pontos perdidos, que podem acarretar no rebaixamento à Série C. A única punição que pode ter isso, mas nem posso pedir a explicação da gravidade. Nosso grande objetivo é não fazer loucura, não ter que fazer correria se a gente receber essa carta que pode causar a pior punição e daí o motivo de estarmos reunidos aqui hoje-disse Sérgio Santos Rodrigues na reunião do conselho.

Se os R$ 5,3 milhões não forem pagos em breve, o risco de queda de divisão é real para o time mineiro, que ainda acumula mais de R$ 70 milhões em dívidas com outros clubes na FIFA.

O Cruzeiro, já sob a gestão de Sérgio Rodrigues, conseguiu quitar algumas pendências, como pagamento ao Zorya, da Ucrânia, pela compra do atacante Willian Bigode, atualmente no Palmeiras.

Outra operação bem sucedida foi acordo de parcelamento em 18 vezes do total de R$ 9 milhões com o Independiente del Valle pela vinda do zagueiro Kunty Caicedo.

Boleto vencendo na quinta-feira

A Raposa tem um problema urgente para resolver até quinta-feira, 6 de agosto: precisa quitar um R$ 2,3 milhões com o Spartak Moscou pelo empréstimo do atacante Pedro Rocha, que jogou no clube em 2019.

    Leia tudo sobre: Futebol

    Veja Também

      Mostrar mais