Rosa Costa , técnica do time feminino do Rio Branco, do Acre, pediu demissão depois do clube contratar o goleiro Bruno , condenado pelo assassinato da ex, Eliza Samudio.

rose
Reprodução
Rose Costa


Ao UOL, Rose, que estava à frente do Rio Branco desde outubro de 2019, se disse triste e revoltada com a situação. "Foi uma decisão unilateral, uma vez que parte da diretoria não concordava com essa contratação. Soube que o o presidente havia fechado negócio com o Bruno por meio da imprensa, acredita? Mesmo com apelo —tanto de torcedores como de funcionários do clube—, não houve como negociar", afirmou.

Nas redes sociais oficiais do clube, o presidente disse que a contratação do goleiro Bruno foi uma das maiores da história. Rose, por sua vez, pediu demissão no mesmo dia em que o vídeo foi publicado.

O time feminino do Rio Branco treinou até março, antes daquarentena, e disputaria o Campeonato Acreano em 2020, mas a competição foi adiada por conta da pandemia do novo coronavírus.

"Sou profissional de Educação Física há mais de 30 anos, sei que o esporte de rendimento —principalmente o futebol— tem uma conotação importante de formação cidadã. O atleta não é um mero profissional, ele é um exemplo para a sociedade, para os jovens", disse.

"Como um homem que cometeu um crime bárbaro como esse pode ser exemplo para alguém?", completou ela, que tinha no clube sua única fonte de renda. "Assumir a posição do principal goleiro da principal equipe de um clube é se colocar como exemplo, principalmente, para atletas da categoria de base. É quase um reconhecimento pelo crime que cometeu".

    Leia tudo sobre: Futebol

    Veja Também

      Mostrar mais