A venda do Cruzeiro de Mayke para o Palmeiras , no final de 2018, está entre os contratos investigados no clube mineiro pela Polícia Civil de Minar Gerais, com acompanhamento do Ministério Público do Estado, de acordo com o Globo Esporte.

Leia também: Zezé Perrella leva cusparada em votação do Cruzeiro; assista

Mayke
Reprodução/Instagram
Mayke, lateral-direito do Palmeiras


Apesar da polícia ainda não tem concluído o caso, é investigado se houve "rachadinha" na venda de Mayke , mas o Palmeiras, clube que recebeu o lateral-direito, não está como suspeito no inquérito.

Leia também: Sérgio Rodrigues vence eleição e é o novo presidente do Cruzeiro

O pedido do contrato da venda de Mayke foi pedido ao Cruzeiro no dia 5 de fevereiro deste ano, requesitando o acordo realizado pelo clube com eventuais parceiros pelos direitos econômicos do atleta.

O pedido veio depois da ADS Engenharia e Construções LTDA, que briga no Tribunal de Justiça pelo recebimento de valores em relação ao percentual, de 30%, de Mayke, entregar o acordo que dividia os direitos entre a empresa e o Cruzeiro. Assim como o Palmeiras, a empresa não é suspeita. 

Outros crimes da antiga gestão do Cruzeiro também são apurados pela Polícia Civil de Minas. Entre eles, falsidade ideológica, de documentos, apropriação indébita, organização criminosa e lavagem de dinheiro. 

Mayke foi vendido ao Palmeiras por 3 milhões de euros, cerca de R$ 14.576.100,00, de forma antecipada, em negócio finalizado em setembro de 2018.

    Leia tudo sobre: Futebol

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários