Lance

Ronaldo Giovanelli em live do Corinthians
Reprodução
Ronaldo Giovanelli em live do Corinthians

As lives nesse período de isolamento tem repercutido bastante no meio do futebol, dessa vez foi uma do Corinthians, apresentada por Ronaldo Giovanelli. O ídolo corintiano mostrou descontentamento em relação à postura de Paulo André por conta de uma ação contra o clube, e chamou o ex-zagueiro de "babaca" durante a transmissão feita em um camarote da Arena.

- Tem que saber sair, tem que saber o lugar que ele entrou, que valorizou o cara, porque tem muitos jogadores, eu não vou citar o Paulo André aqui, porque para mim ele foi um p*** de um babaca, então não vou falar disso aí, porque cada um tem o seu direito. Agora mudar toda a história, colocar outra coisa, eu não vou fazer isso - disse Ronaldo.

A revolta do ex-goleiro se dá pelo fato de Paulo André ter entrado com uma ação contra o Timão pedindo descanso semanal remunerado, além de adicional por partidas jogadas à noite, aos domingos e feriados. O ex-atletas ganhou a causa, mas para colocar um fim na briga judicial, entrou em acordo com o clube por R$ 750 mil parcelados em 15 vezes.

- Ele esteve no clube há seis meses, eu estava presente em uma conversa com o Andrés, Corinthians acertou, fez um acordo, essa parte ficou de lado, ele entende que foi um erro, colocou que na época foi por não ter recebido outra coisa, aí o advogado falou "põe isso também", acabou fazendo. Só para dizer que o Corinthians acertou com ele e isso ficou para lá - disse Duílio Monteiro Alves, diretor de futebol do Corinthians, que também estava na live.

Essa ação de Paulo André, em conjunto com uma do volante Maicon (atualmente no Grêmio) contra o São Paulo, motivou Andrés Sanchez, presidente corintiano a enviar uma carta para a FPF, a CBF e a Globo, solicitando que o clube não jogue mais no período noturno e aos domingos, a fim de evitar que mais processos desse tipo aconteçam.

O lateral-direito Fagner, que também era convidado da live, se manifestou em relação a esses fatos ocorridos recentemente e se mostrou contrário a mudar uma tradição do futebol, por conta de uma ação que para ele não convém.

- Eu até comentei com a minha esposa ontem. O futebol sempre foi de quarta e de domingo. Não vou ser contra ou a favor de ninguém, mas não tem como mudar uma coisa que foi assim a vida inteira. Nós, jogadores, na maioria, somos privilegiados. Esse tipo de ação não convém. Meu filho, que está começando a jogar futebol, sabe que não vai ter sábado, domingo e feriado, como uma pessoa normal que trabalha de segunda à sexta. Por outro lado, com 20 anos ele pode resolver a vida da família inteira dele - disse o camisa 23.

    Veja Também

      Mostrar mais