Pablo assumiu desejo de voltar ao Corinthians
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Pablo assumiu desejo de voltar ao Corinthians

Se a torcida do Corinthians não esquece o zagueiro Pablo, o mesmo pode-se se dizer do jogador em relação ao clube. No Brasil, em recuperação de uma lesão séria no joelho - e contando com todo o auxílio do departamento médico alvinegro -, o campeão brasileiro em 2017 não esconde, em entrevista exclusiva ao iG, o desejo de retornar o mais breve possível ao time do Parque São Jorge e da sua preferência em ficar no Brasil em meio à pandemia mundial. 

“Tenho um sonho de voltar ao Brasil, de voltar em um time que sempre tive em mente. Tenho desejo de voltar ao Corinthians e continuar essa história”, afirma ele, que, durante a entrevista, também elogiou muito a torcida corinthiana. “Nunca vou esquecer da minha passagem em 2017. Todo o carinho e respeito que a torcida teve comigo. A motivação que me deram para sempre me esforçar e me dedicar ao máximo. Tenho esse desejo de voltar a vestir essa camisa. Sempre fui corinthiano e quando joguei lá é totalmente diferente”.

Perguntado se a recuperação com o auxílio dos profissionais do clube poderia facilitar uma negociação e sobre a real possibilidade de retornar nesse momento, já que, na última temporada, o Bordeaux pedia 30 milhões de euros para uma venda, Pablo alega que as possibilidades estão abertas. 

“No futebol tudo é possível. Na França não tem clausula de compra, não tem multa, eles estipulam o valor que eles querer. Mas, da forma que o mundo está hoje, prefiro permanecer no Brasil, perto dos meus familiares e amigos, no meu país, falando a minha língua. Espero que tudo se normalize futuramente, mas, caso siga assim (com casos), vou preferir ficar no Brasil, que é o lugar onde me sinto mais seguro”.

Apesar de jogar em um time respeitado na Europa, o Bordeaux não figura hoje entre os grandes, não tendo pretensões dentro do campeonato francês e, muito menos, de disputar de igual para igual contra outras equipes do continente. Diante desse quadro, Pablo tem consciência que pode voar mais alto. 

“Me questionei algumas vezes nesse sentido (jogar em um time grande da Europa). Mas, sou um cara de fé e acredito que tudo que acontece na vida é permissão de Deus. Se até hoje não apareceu nada como da forma que acredito que mereça é porque não estou pronto ou não é para aparecer agora. Claro que quero coisas maiores, quero jogar em time grande da Europa, jogar uma Champions League. Se der tudo certo que vá para algum time melhor na Europa, amém, mas, a volta ao Brasil não está descartada”, reafirma. 

No próximo dia 12, o zagueiro completa dois meses de recuperação da cirurgia no joelho e, mesmo diante das dificuldades impostas pela pandemia, o tratamento está caminhando dentro da normalidade, graças à ajuda do Corinthians. 

“Já estou andando perfeitamente, com praticamente a mesma massa muscular que a perna oposta. A evolução está muito boa. O Corinthians deu todo suporte, apesar de toda a dificuldade que tem o meu caso, porque preciso de aparelhos e alguém sempre olhando. Devido à pandemia é difícil ter esse contato próximo. Mas, com todos os problemas, a evolução está sendo ótima. Tive com o Dr. Ivan Grava (médico do clube) para fazer o exame de rotina e está tudo perfeito”, aponta.

Como anteriormente publicado pelo iG, a ideia é que Pablo possa também usar a estrutura física do clube, mas, isso só ocorrerá quando o elenco retornar aos treinos, o que ainda não tem uma data certa. Vale ressaltar que, além dos profissionais do Corinthians, os franceses também estão de olho na recuperação. “O pessoal (da França) está todo tempo em cima. Pedindo vídeo, perguntando o que estou fazendo e o que não estou fazendo. Daqui duas semanas terei uma teleconferência, com participação do Dr. Ivan Grava, para poder passar para eles certinho como está a evolução e falar do procedimento utilizado”, diz o jogador. 

Pablo, que tem ficado grande parte do tempo em casa, vem aproveitando a quarentena para ficar ao lado da família, caso raro na vida de um jogador profissional, e também tem mantido um contato constante com alguns amigos, que decidiram passar por esse momento juntos. 

“Estou praticamente 100% dentro de casa. Quando saio é para ir ao mercado. Tenho uma coisa boa que estou, desde o início, fazendo quarentena com amigos. Estou com eles e os filhos deles estão com meus filhos. Dessa forma, a criançada fica brincando o tempo todo. Também consegui fazer uma pequena estrutura de academia. Estamos tentando manter as coisas normais. Algumas vezes, como moro em um condômino fechado, saímos um pouco para respirar outros ares. Mas, respeitando todas as normas que foram passadas”, comenta ele, que deixou a França quando a rigidez começou a ficar severa, com pessoas tendo horários para sair e voltar para casa.

Mesmo com esses confortos, o jogador não deixou de pensar nas pessoas que estão em suas casas impedidas de sair. Ao lado de outros atletas, como Alexandre Pato e Roberto Firmino, criou uma playlist com as músicas que mais gosta e disponibilizou no Spotify, aplicativo de compartilhamento. A ideia, além de se aproximar dos torcedores, é entretê-los durante a quarentena.

A expectativa é que o campeonato francês retorne em setembro. Por contrato, o jogador teria que retornar ao clube no dia 15 de julho, mas, por conta do coronavírus, não há uma data certa e o jogador “negociará” novamente com os franceses para saber quando se apresentar. Por enquanto, Pablo diz estar focado na recuperação e na saúde dos familiares, mas, não esconde o seu maior objetivo dentro do futebol. 

“Sempre vejo com os bons olhos a seleção. Talvez essa minha temporada foi uma das melhores. Sou o defensor com mais gols no campeonato, com quatro gols, umas seis vezes fui para a seleção da semana. Vejo a seleção muito de perto. Tem jogador com muita qualidade, mas, estou trabalhando e me dedicando para ser lembrado novamente”, conclui.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários