Lucca
Reprodução
Lucca

A pandemia do coronavírus atingiu em cheio o futebol mundial e tem obrigado os clubes do Brasil a tomar uma série medidas de contenção de despesas, entre elas, negociar com os atletas, comissões e funcionários o corte parcial e temporário dos vencimentos.

Fora do Brasil a situação financeira não é diferente. No Catar, o atacante Lucca, que foi campeão Brasileiro pelo Corinthians (2015), não esperou uma procura por parte do Al Khor, seu atual clube, e tomou a atitude de cortar o próprio salário em meio à crise de receitas provocada pelo vírus. “Decidi isso com minha família na semana passada, muitos jogadores daqui estão tendo essa atitude por conta da situação que o país se encontra e resolvi ajudar também”, revela o jogador, em entrevista exclusiva ao iG.

Assim como no Brasil, a situação da pandemia no país árabe vem provocando problemas econômicos. Por lá, também foi adotado o isolamento, medida tida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma das mais eficazes para enfrentar o vírus. “Estamos todos de quarentena, os comércios estão fechados e há um grande número de casos. Nós (da família) estamos fazendo as coisas dentro de casa mesmo, saímos só para as crianças darem uma voltinha na rua, mas nada está aberto. A sugestão é que todos fiquem em casa e estamos respeitando”, comenta ele. 

Sem problemas com adaptação e vivendo um bom momento dentro de campo, Lucca nem cogita, no momento, um retorno ao futebol brasileiro. Nessa temporada, o jogador participou de todos os seis jogos do Al Khor e marcou dois gols, ambos no empate com o Al Ahli, por 2 a 2. “Já atuei aqui ano passado. Eu e minha família estamos adorando. A questão da língua até que não está muito difícil, porque tem o tradutor que nos ajuda. A comida é boa, mas tem muita pimenta, então a gente prefere cozinhar. Também é muito calor, mas, gostamos. Espero continuar por aqui. O futebol do Catar é muito bom e me identifiquei. O futuro à Deus pertence, mas estou feliz e quero seguir”, comenta. 

Vale lembrar que o Catar receberá a Copa do Mundo de 2022 e, segundo o atacante, o coronavírus não tem afetado diretamente a competição. “O país está empolgado. Acredito que a pandemia não tenha atrapalhado a preparação. Todos comentam bastante sobre a Copa e se eu estiver aqui com certeza irei assistir aos jogos do Brasil caso se classifique”, diz.

Após se destacar no Criciúma, Lucca foi contratado pelo Corinthians em setembro de 2015, sendo inscrito no último dia da janela de transferência. O que ninguém imaginava é que o atacante se tornaria o grande protagonista dos últimos jogos do Brasileirão daquele ano, sendo peça fundamental para a conquista do título. Logo na sua estreia, no clássico com o Santos, foi responsável pelas jogadas dos dois gols do Corinthians na vitória diante do rival. Depois, marcou um gol na “decisão” contra o Atlético-MG, pela 33ª rodada. Por fim, fez o gol da vitória de 2 a 1 do clube paulista contra o Coritiba, deixando o alvinegro mais próximo do sexto campeonato brasileiro.

Em janeiro de 2017, porém, o atacante optou pela saída do clube, após ser preterido pelo então técnico Carille, que alegou que o atleta teria que “aguardar” para ter uma chance. Se sentindo desprestigiado, optou por ser emprestado à Ponte Preta. Após boa campanha com a Macaca, retornou ao Corinthians no ano seguinte e participou de oito jogos da campanha do bicampeonato paulista. Após o término da competição, foi emprestado ao Internacional. 

Questionado sobre essa situação vivida no clube, Lucca negou qualquer ressentimento. “Não ficou mágoa não. Cada um tem a sua preferência e entendo o que aconteceu. Participei do título e acho que meu papel foi feito. Segue minha torcida pelo clube e pelos amigos que fiz lá”, conclui. 

Apesar do contrato do jogador com o alvinegro se encerrar no próximo dia 31 de julho, Lucca deve seguir com um certo vínculo com o time do Parque São Jorge. Quando foi emprestado ao clube árabe, o Corinthians não recebeu nenhuma quantia. Em troca, além da totalidade do salário ficar a cargo do novo clube, foi deixado “apalavrado”, segundo fontes ouvidas pela reportagem, que o Timão ficaria com 20% do valor de uma futura venda do atleta. Assim, ainda existe a possibilidade de não perder o atacante de graça, após ter desembolsado R$ 4,5 milhões, em 2016, por 60% do passe. Pelo clube, Lucca fez 69 partidas, sendo 31 como titular. Ao todo, foram 12 gols.

    Veja Também

      Mostrar mais