Rafael Bilu em ação solidária
arquivo pessoal
Rafael Bilu em ação solidária

Se no futebol ele ainda dá os primeiros passos e busca seu lugar ao sol, como pessoa, o jovem atacante Rafael Bilu já mostra uma consciência que falta até mesmo aos mais experientes. Apontado como uma das principais revelações do Corinthians e visto com grande expectativa no Parque São Jorge, o jogador, que está emprestado ao CSA-AL, lidera, ao lado do irmão, uma campanha de arrecadação para ajudar pessoas carentes e que vem sofrendo ainda mais em meio à pandemia.

Após conseguir 100 marmitas, que foram doadas em uma comunidade de Osasco, na Grande São Paulo, o jogador busca agora ajuda para comprar cestas básicas. “Essa campanha já vinha de um tempo, meu irmão já ajudava algumas pessoas. São famílias muito carentes e que, com essa pandemia, estão precisando ainda mais. Estamos pedindo a ajuda de todos para conseguir comprar cestas básicas para suprir essa necessidade deles. Tem famílias lá que são muito grandes, com quatro ou cinco filhos, e sei o quanto é difícil sustentá-las, ainda mais num lugar bem carente. Eu me comovo com isso e, se Deus quiser, vamos conseguir mais pessoas para ajudar”, afirma ele, em entrevista ao iG.

O controle da arrecadação está sendo feito pela Centro Cristão de Apoio à Família, organização não governamental, sem fins lucrativos, que trabalha voluntariamente na área de assistência social das cidades de Osasco, São Paulo e região. O contato pode ser feito pelo telefone: (11) 9-4896-3176 (Osmar de Carvalho).

Em paralelo a campanha de arrecadação, o atacante segue treinando e na expectativa para o retorno do futebol. Com contrato com o Corinthians até dezembro de 2022, o jogador, que foi titular da equipe campeã do mundial e da Copa do Brasil sub-17, tem uma multa rescisória de 50 milhões de euros (R$ 300 milhões na cotação atual). Antes de deixar o alvinegro, Bilu chegou a estrear pelo profissional, em 2018, quando, após elogios do então técnico Jair Ventura, pôde atuar por 15 minutos no empate por 0 a 0 com a Chapecoense, na Arena. Na ocasião, dividiu o vestiário e o campo de treinamento com ídolos como Cássio, Sheik, Danilo e Ralf. Porém, após questões extracampo, foi emprestado para ganhar experiência. 

“Esse período fora do Corinthians está sendo muito bom. Aprendi e amadureci muito nesse tempo. No ano passado, no América Mineiro, tive uma passagem que me ensinou muita coisa, mesmo não tendo jogado tanto. Aprendi demais com pessoas maravilhosas que me aconselharam, apoiaram e me fizeram mais forte para chegar ao CSA e fazer as coisas certas, não repetindo os erros que os jovens acabam cometendo”, diz ele, que quer retornar, em breve, ao alvinegro paulista. “Pretendo muito voltar ao Corinthians por ser o time que me revelou, que passei grande parte da minha vida e o time de coração. Quero voltar mais maduro, mais consciente das coisas, mais experiente e sei que posso dar muito orgulho para a torcida e fazer história no clube”.

Pelo América Mineiro, em 2019, o atacante fez 10 jogos (três como titular) e marcou um gol pela segundona do Brasileirão, contra o CRB, dia 8 de junho, no Rei Pelé. O Coelho foi o quinto colocado e quase alcançou o acesso para a Série A, desperdiçando a oportunidade na última rodada da competição. Agora, pelo CSA, que tentará subir para a divisão principal do nacional esse ano, já fez 11 partidas e balançou as redes uma vez. 

“Estou treinando forte para não perder o físico que estava antes da parada e para voltar ainda mais forte. Ficar parado é ruim, o time vinha em um crescente e a parada complicou as coisas. Mas, é torcer para essa pandemia acabar logo para poder voltar a fazer o que mais gosto”, diz o garoto, que não esconde o sonho de ser “reconhecido no futebol, jogar campeonatos grandes e dar alegria para família”. “Quero que minha família me veja jogando uma Champions League e uma Copa do Mundo. Não só para mim, para eles seria um orgulho”.

    Veja Também

      Mostrar mais