Lance

Lance

Ronaldinho Gaúcho rompeu o silêncio pela primeira vez desde a sua prisão e conversou com a “ABC Color” sobre o seu tempo no Barcelona e sobre os problemas que teve no Paraguai. O astro relembrou com carinho do passado e contou sobre como eram seus dias no cárcere, ao lado de outros detentos.

Leia também: Foragida, empresária que levou Ronaldinho ao Paraguai abre o jogo

Ronaldinho
Reprodução
Ronaldinho Gaúcho



O campeão do mundo de 2002 revela surpresa ao chegar no país ao descobrir que os documentos que portava não eram legais, mas que em todo o tempo foi recebido com carinho pelos paraguaios.

Leia também: Detido no Paraguai, Ronaldinho aparece em live do 'Revelação' e bomba na web

- Eu sinto o carinho, amor e respeito de todos os paraguaios desde o primeiro dia que cheguei no país. Todas as pessoas com quem tive na Agrupação (centro de segurança da Polícia Nacional) me receberam com gentileza, jogando futebol, dando autógrafos, fotos. Faz parte da minha vida, não teria motivos para parar de fazê-lo, ainda mais com pessoas que viviam momentos difíceis, como eu.

Além de comentar sobre o imprevisto no Paraguai, o eterno camisa 10 do Barcelona lembrou da sua chegada na Catalunha e seu título mais importante com o fardo blaugrana.

- Foi um momento mágico, conquistar a Liga dos Campeões com o Barcelona foi algo muito especial. O clube não vinha de bons anos e ganhar algo importante foi muito especial novamente.

Leia também: Ronaldinho manda recado para familiares de colega de prisão: 'Meu atacante'

Ronaldinho aguarda seu período no país latino para voltar ao Brasil após ter conseguido sair da prisão e ficar detido domiciliarmente com seu irmão, Assis. O desejo do craque ao retornar é reencontrar a mãe após dias difíceis desde o início da pandemia do coronavírus.

    Leia tudo sobre: Futebol

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários