Lance

Carlos Alberto%2C ex-jogador e hoje comentarista esportivo
Reprodução
Carlos Alberto, ex-jogador e hoje comentarista esportivo

Sempre muito sincero, Carlos Alberto foi um jogador marcante no futebol brasileiro. Em uma entrevista ao 'UOL', o comentarista repassou sua carreira e revelou alguns hábitos, no mínimo, polêmicos. 

Leia também: Labo B do futebol na quarentena: auxílio do governo e bico em barbearia

- Para tu ver como eu era pi**. Eu bebia, fumava e fazia outras coisinhas mais e chegava no campo e corria. Hoje em dia, os caras não fazem porra nenhuma e não têm sangue para correr - disse.

Apesar de ser uma prática totalmente não recomendada ao atletas profissionais, fumar cigarros está longe de ser algo incomum no futebol.

- Teve um dia que um cara perguntou pra mim: 'Pô, tu fumava quando jogava?'. Eu comecei lá em Portugal. Eu e uma porrada. Eu e um monte. Hoje em dia, eu fumo menos. Inclusive, é uma coisa que eu quero parar. Mas, fazer o quê? Nunca escondi isso de ninguém, não, tá? Todos os lugares, todo mundo sabia. O Zidane fuma. Outro dia saiu o Ronaldo Fenômeno. Eu estou falando dos que saíram, por isso que eu tô falando. Os que nunca falaram, que são enrustidos, eu não vou falar, mas tem um monte aí, também, que bebe na concentração, faz os cara*** - revelou o jogador.

Carlos Alberto ainda criticou o alto salário dos jogadores de base do futebol atual. Na visão do comentarista, os jovens estão subindo para o profissional já ganhando muito dinheiro, diferente do que era em sua época.

- O cara chega para o profissional com três telefones celulares, mas só tem duas orelhas. Já ganhando um salário que, na época, a gente tinha que bater meta de tantos gols, tantos não sei o quê, tantas convocações na seleção de base, tantos jogos no profissional para renovar o contrato. Quando eu subi pro profissional, nem carro eu tinha - disse.

    Veja Também

      Mostrar mais