Lance

Lance


Uma acusação grave e bastante séria foi feita na última quinta-feira (12) pelo empresário venezuelano Ricardo Albacete, proprietário da companhia aérea LaMia e responsável pelo transporte da delegação da Chapecoense no acidente aéreo de 2016.

Leia também: MPF pede indenização bilionária por tragédia da Chapecoense

chapecoense
Luis Benavides/AP
Acidente da Chapecoense



Em depoimento que o mesmo deu na CPI do Senado em Brasília que investiga o caso e os devidos responsáveis, Ricardo chegou a dizer não apenas que a controladora de voo Yaneth Molina havia errado no procedimento como também a acusou de ser a principal responsável pela tragédia que vitimou 71 pessoas na região colombiana do Cerro El Gordo:

- Infelizmente a tripulação não insistiu com o controle aéreo e não declarou emergência de antemão. Seguiu fazendo minutos de espera. O outro avião também tinha pedido prioridade, mas não era emergência. O piloto da LaMia sabia a altura da aeronave, mas não sabia onde estava em relação à pista. O que ele fez? Procurou a pista, mas não tinha mais potência. A senhora Molina os matou.

Apesar de fazer a pontuação entendendo que a tripulação no aspecto do pouco combustível também cometeu um erro onde o empresário chegou a chamar os tripulantes de "idiotas", Ricardo não deixou novamente de acusar Yaneth como a causadora-mor do fato:

Leia também: Justiça nega indenização à família de jogador morto no avião da Chapecoense

- Havia pouco combustível. Infelizmente, eles (os funcionários) não seguiam as regras aí. Os tripulantes foram intrépidos, audazes. Nesse dia, infelizmente, eu os considero como idiotas", afirmou. "O avião, quando estava a 16 mil pés de altitude poderia chegar, passar por cima da pista e dar uma volta de reconhecimento de voo. Infelizmente, a senhora Yaneth Molina os mandou para as montanhas.

    Leia tudo sobre: Futebol

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários