Flamengo x Botafogo
Fcesar / Ofotográfo / Agência O Globo
Flamengo x Botafogo

No jogo que reunia os três jogadores do Flamengo convocados por Tite para as Eliminatórias da Copa do Mundo na véspera, foi Éverton Ribeiro quem mais justificou o retorno à seleção brasileira. Após um primeiro tempo em que o Botafogo anulou o ataque rubro-negro e levou mais perigo, o meia foi o responsável por abrir os caminhos na etapa final e ainda marcar o primeiro gol da vitória na segunda rodada da Taça Rio. Gabigol fez o segundo, e depois do artilheiro perder dois pênaltis, Michael fechou o placar de 3 a 0.

Pelo grupo A, agora o Flamengo lidera com seis pontos e foca na Libertadores. Quarta-feira, tem Barcelona do Equador no Maracanã. Já o Botafogo pensa na Copa do Brasil, terça-feira, contra o Paraná, e depois tenta ir além dos três pontos que o deixam na quinta posição, fora da zona de classificação às semifinals do segundo turno.

No Maracanã predominantemente rubro-negro, o Flamengo se apresentou com um time misto, em que Gerson, Filipe Luis e Arrascaeta foram poupados. Dos lesionados, apenas Bruno Henrique retornou, uma vez que Rodrigo Caio e Rafinha ainda estão em fase final de transição de lesão muscular. A formação diferente, somada à postura do Botafogo, impôs dificuldade inicial fora do comum ao time de Jesus, que completara sua partida de número 50. Mesmo de volta, Bruno Henrique ainda não se apresentou no melhor de sua forma, que fez diferença.

O Botafogo buscou anular o veloz ataque rubro-negro com três zagueiros e postura compacta. Kanu, Marcelo Benevenuto e Joel Carli se postaram bem frente a Bruno Henrique, Gabigol, Michael e Éverton Ribeiro. Nos duelos diretos, os atacantes rubro-negros tiveram muita dificuldade. Sobretudo Michael, marcado de forma implacável por Benevenuto e Luiz Fernando.

Depois da parada técnica, o atacante Berrio entrou no lugar de João Lucas, já que o lateral sentiu dores musculares. Improvisado, o atacante não foi bem. Mesmo assim, o Botafogo não conseguia ficar com a bola para trabalhar jogadas de ataque. As melhores chances vieram em cruzamentos, um deles parou na trave de Diego Alves, arrematado por Pedro Raul. Quando o time enfim se ajustou entre a roubada de bola e o contra-ataque, Luiz Henrique saiu na cara do goleiro rubro-negro, que abafou. O Botafogo ainda marcou um gol, mas em impedimento. Enquanto o Flamengo finalizou as mesmas três vezes, mas sem nenhum perigo.

Na etapa final, o Flamengo sobrou. Principalmente depois de desatar o nó do de seu ataque. Mesmo que tenha parecido por vezes disperso, com mais erros de passe do que o normal, o time se centrou em Éverton Ribeiro, que conduziu o Flamengo à vitória com ótimas arrancadas pelo meio. Mas foi Michael quem clareou as coisas ao dar drible desconcertante e vencer a primeira batalha com Benevenuto. No cruzamento, o camisa sete só escorou para gol. Em vantagem, bastou esperar o Botafogo sair para encontrar mais espaço. Em noite abaixo tecnicamente, Gabigol, que levou cartão amarelo por reclamação mais uma vez, fez boa jogada dentro da área e contou com desvio em seu chute para ampliar, depois de outra boa jogada de Michael.

Em seguida, teve dois pênaltis para bater, sofrido por Éverton Ribeiro. Perdeu os dois. No primeiro, acertou o travessão, e no rebote Diego Ribas marcou, em impedimento. Em seguida, bateu no mesmo lugar, mas sem cavadinha. O camisa nove, entretanto, se redimiu em boa assistência para Michael em contra-ataque fulminante. Já diante de um Botafogo sem forças para reagir.

    Veja Também

      Mostrar mais