Tamanho do texto

Técnico argentino comunicou que não dará continuidade ao trabalho em 2020; clube alvinegro oficializou sua saída através das redes sociais. Veja

O Palmeiras se aproxima de suas definições para a próxima temporada. Principal nome para comandar o time no ano que vem, Jorge Sampaoli comunicou ao Santos que não continuará no clube em 2020 - e o clube alvinegro já oficializou sua saída na noite de terça-feira.

Leia também: Sampaoli já está acertado com Palmeiras e deve ser anunciado nos próximos dias

Jorge Sampaoli arrow-options
Reprodução
Jorge Sampaoli


O Palmeiras se anima com a possibilidade de contar com  Sampaoli e também por tentar efetivar Anderson Barros, que passou 2019 no Botafogo, como principal nome para comandar o futebol.

A escolha por um diretor de futebol chega depois da demissão de Alexandre Mattos, na semana passada. Diego Cerri, dirigente do Bahia, recusou o convite do Verdão, na mesma noite em que Sampaoli comunicou que não cumpriria seu contrato com o Santos. Indicando que o treinador e o dirigente aceitariam assumir o clube a partir de 2020.

Leia também: Palmeirenses aprovam Sampaoli; já santistas estão "pistolas" com técnico

Anderson Barros parece a solução para substituir Mattos, demitido na semana passada. O problema é que a alta cúpula alviverde já tinha feito um mapeamento no mercado e definido que a vaga ficaria entre Diego Cerri e Rodrigo Caetano, que preferiu permanecer no Inter. Cerri, ao contrário, chegou a viajar para São Paulo na semana passada, indicou que aceitaria.

Cogitou-se promover Cícero Souza, que aceitou permanecer como gerente de futebol mesmo com a demissão de Mattos. Contudo, a visão inicial dos dirigentes era exatamente que Cícero é especialista nos processos de logística, mas não como alguém de mercado. Não há nem mesmo a indicação de que o gerente aceitaria essa promoção. E o próprio Cícero indicou Anderson Barros.


A previsão é que o Palmeiras se reapresente na segunda semana de janeiro, já visando a viagem para os Estados Unidos, onde disputará a Florida Cup. Em 22 de janeiro, ocorrerá a primeira rodada do Campeonato Paulista. E há uma reformulação no elenco que os jogadores já estão cientes. O planejamento, porém, está atrasado.

A única definição é que será um formato diferente da gestão do que tinha Alexandre Mattos. A ideia é de que o comando do futebol do Palmeiras seja descentralizado, com a criação de um comitê gestor, que trabalhará acompanhando de perto os passos dados na Academia de Futebol. Devem fazer parte dele os vice-presidentes Paulo Roberto Buosi, Alexandre Zanotta e José Eduardo Caliari, além do diretor financeiro Davi Gueldini.

Leia também: Barça quer Jorge Jesus e Sampaoli é o favorito para substituí-lo no Fla, diz TV

E segue a indefinição em relação ao técnico para 2020. Jorge Sampaoli é o grande nome para liderar a reformulação palmeirense. Ao demitir Mano Menezes, o argentino surgiu como consenso internamente para fazer uma equipe mais ofensiva e que reaproxime o torcedor. E o próprio Santos afirmou que o treinador não continuará no clube na próxima temporada.

    Leia tudo sobre: Futebol