Tamanho do texto

O goleiro, preso pelo assassinato de Eliza Samudio, estreou pelo Poços de Caldas no último dia 5 de outubro, quando foi ovacionado em campo; veja

O goleiro Bruno teve seu contrato com o Poços de Caldas rescindido 23 dias após suas apresentação e estreia pelo clube mineiro, de acordo com a Folha de São Paulo. O atleta, que foi ovacionado em campo, disputou apenas uma partida pelo time, no dia 5 de outubro.

Leia também: Goleiro Bruno volta aos gramados ovacionado e com público de 200 torcedores

bruno arrow-options
EPTV/Reprodução
Goleiro Bruno teve contrato rescindido


Para poder assinar o contrato, o goleiro Bruno conseguiu uma progressão ao regime semiaberto. Ele cumpre pena pelo assassinato de Eliza Samudio, em 2010. O corpo da mulher nunca foi encontrado.

Leia também: Filho do goleiro Bruno quer mudar de nome por causa do pai

De acordo com o presidente do Poços de Caldas , Paulo César da Silva, a decisão da rescisão foi um acordo dos dois lados. “A gente não consegue contar com o atleta . É complicado, entendeu? Em 60 dias de contrato, ele jogou 45 minutos, a Justiça não libera para ele treinar. É uma coisa que se torna difícil para o clube, você manter um salário alto de um jogador do nível dele para não usar”, afirmou à Folha. Ele também disse que o salário de Bruno é o mais caro do elenco.

goleiro bruno arrow-options
Divulgação/Poços de Caldas FC
Goleiro Bruno posa com a camisa do Poços de Caldas


Leia também: Após contratar goleiro Bruno, clube é atacado no Instagram: "Time de assassino"

Segundo o Paulo César, a Justiça não deixou o goleiro Bruno treinar em Poços de Caldas e jogar com o time em cidades vizinhas. Tanto, que a estreia do atleta foi adiada por questões legais.

    Leia tudo sobre: Futebol