Tamanho do texto

Entidade observa de perto os protestos da população contra o governo chileno, onde está marcada a final da torneio, no dia 23 de novembro; veja

Lance

Se no começo da semana a Conmebol bateu o pé e garantiu que a primeira final da Libertadores em jogo único será disputada em Santiago do Chile , hoje em dia a história começa a ganhar outra versão.

Leia também:  Esquenta da Libertadores! Sósias do Flamengo goleiam time de anões do Grêmio

libertadores arrow-options
Divulgação
O Estádio Nacional do Chile deve ser o palco da final da Libertadores de 2019


Sem tornar a preocupação pública, a entidade máxima do futebol sul-americano observa de perto os protestos da população contra o governo chileno, que aumentou o preço da passagem do transporte público.

Leia também: Flamengo ou Grêmio? "Que eles lutem", diz zagueiro do River

O medo da Conmebol é que o caos no país não acabe as vésperas da final da Libertadores , marcada para o dia 23 de novembro e a entidade precise buscar com urgência um plano B.

Mesmo que de maneira tímida, Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol, e seus pares, começam a observar outras praças e estudam a possibilidade de alterar a final.

De acordo com o jornal ‘El Mercurio’, Lima, Brasília e Quito aparecem como alternativas e agradam os dirigentes.

Leia também: River Plate perde para o Boca Juniors, mas avança à finalíssima da Libertadores

Caso precise mudar a cidade, esta seria a segunda final consecutiva da Libertadores com mudança em cima da hora. Na temporada passada, após um ato de violência da torcida do River Plate contra os jogadores do Boca Juniors, o jogo do Monumental de Núñez foi suspenso e a grande final aconteceu em Madri, na Espanha.