Tamanho do texto

Após banco cobrar quase meio bilhão de reais, presidente do Timão concedeu entrevista e afirmou que clube atrasou dois meses de pagamento

Lance

Andrés Sanchez%2C presidente do Corinthians arrow-options
Reprodução
Andrés Sanchez, presidente do Corinthians

Um dia após o Corinthians receber a notificação da Caixa Econômica Federal sobre a execução da dívida de quase R$ 500 milhões referente ao empréstimo para a construção do Itaquerão, o presidente Andrés Sanchez concedeu entrevista coletiva no CT Joaquim Grava e deu o posicionamento do clube sobre o tema. De acordo com o cartola, o Timão não tem mais dívida alguma com a Odebrecht e seu débito é apenas com o banco estatal. O Alvinegro, de acordo com Andrés, tinha um acordo verbal com a Caixa e estava com duas parcelas em atraso por conta da realização da Copa América.

Clique aqui e saiba como assistir aos jogos do Corinthians na Copa Sul-Americana de graça

- O Corinthians nunca negou a dívida com a Caixa . Tínhamos um acordo apalavrado com a diretoria da Caixa e estávamos cumprindo isso. Estávamos conversando todo os meses com a Caixa e isso nos pegou de surpresa. O Corinthians deve e vai pagar - cravou o presidente do Timão. 

No acordo costurado com a Caixa, durante a temporada do futebol brasileiro (março a outubro) o Corinthians paga mensalmente parcelas de R$ 5,7 milhões ao banco. Em novembro, dezembro, janeiro e fevereiro, o clube paga R$ 2,5 milhões já que o fluxo de caixa é menor devido às férias e a realização de menos jogos em Itaquera. 

Segundo Andrés Sanchez , o Corinthians tinha duas parcelas em atraso. Um dos motivos para isso foi a paralisação do calendário do futebol nacional para a disputa da Copa América, nos meses de junho e julho. O clube havia notificado o banco do problema ao banco antes mesmo de receber a competição internacional em sua arena. 

- Tínhamos um acordo verbal. Continuamos conversando e pedimos permissão para atuar na Copa América e, de repente, fomos pegos de surpresa. 

Outro ponto debatido na coletiva de imprensa foi a dívida com a Odebrecht, empresa responsável pela construção da arena e uma das credoras do Corinthians. De acordo com o presidente do Alvinegro, a dívida foi resolvida. Isto porque, o clube entregou os CIDs (Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento) e assinou um acordo com a empreiteira. 

- Nós demos os CIDs e fizemos o acordo com a construtora. O Corinthians deve só para a Caixa. Pelo amor de Deus, que isso fique claro: o Corinthians deve só para a Caixa - afirmou Andrés, que mostrou o documento assinado e registrado em cartório aos jornalistas no CT Joaquim Grava. 

Diante de tudo isso, o cartola ainda explicou que a dívida total do clube pela construção de sua arena, inaugurada em 2014, é de R$ 470 milhões. Vale lembrar que o clube já pagou R$ 170 milhões para a Caixa Econômica Federal referente ao empréstimo de R$ 400 milhões feito em meados de 2013. O restante da conta é de juros e correção monetária. 

- Na nossa conta, o Corinthians deve R$ 470 milhões e alguma coisinha. Na conta da Caixa, são R$ 520 milhões. O Corinthians só deve isso, que fique claro - encerrou o cartola.