Tamanho do texto

Febre por treinadores gringos é alavancada pelas boas campanhas de Jorge Jesus e Sampaoli, líderes do Campeonato Brasileiro com Flamengo e Santos

Depois que Felipão foi demitido do Palmeiras, na noite da última segunda-feira, a torcida Alviverde já começou a especular quem ocuparia a vaga deixada por Luiz Felipe Scolari e o nome de técnicos estrangeiros nessas especulações chamaram a atenção: Gareca, que já foi treinador do time paulista, José Mourinho e até Eduardo Coudet estavam nesta lista, mas, afinal, por que essa febre de técnicos gringos está tomando conta do torcedor brasileiro?

Leia também: Witzel vai pedir para Jorge Jesus não deixar o Flamengo por medo da violência

Jorge Jesus arrow-options
FLAMENGO/SITE OFICIAL/REPRODUÇÃO
Jorge Jesus ajuda com febre de torcedores em técnicos estrangeiros


Talvez o fato de Flamengo e Santos estarem liderando o campeonato Brasileiro com Jorge Jesus e Jorge Sampaoli , dois técnicos estrangeiros , em seus respectivos comandos contribua muito para isso, mas, mais do que isso, o clube carioca não vinha apresentando um bom futebol com Abel Braga, até que o português chegou e conseguiu mudar completamente o estilo de jogo  rubro-negro.

Lucas Santaguida, torcedor do Palmeiras, é um dos que gosta dos gringos. Para ele, o momento é favorável aos treinadores estrangeiros no cenário nacional. “Temos material humano para um bom repertório, falta um técnico que saiba fazer, acho que um técnico de fora abriria a mente dos jogadores do Palmeiras”, disse ele. Na opinião do jovem, os  técnicos nacionais não estão defasados, mas acha que eles precisam se reinventar. “Os ‘medalhões’ que já ganharam tudo no passado acham que não precisam aprender mais nada, mas o futebol está em constante evolução, tem que mudar”.

Por outro lado, os técnicos da nova geração, na opinião de Lucas, não aguentam a pressão de treinar time grande. “O Palmeiras mesmo já tentou entrar nessa metodologia com Eduardo Baptista e Roger Machado e foi um fracasso”, explicou.

No entanto, o palmeirense ainda acha cedo para avaliar Jorge Jesus e Sampaoli.  “Até agora vejo como muito positiva a vinda de ambos, principalmente de Jesus que muita gente criticou. É difícil demais assumir um time grande no meio da temporada, sem conhecer os adversários e ter sucesso. Até o momento vem fazendo um trabalho perfeito pra mim”, pontuou.

Leia também: Jorge Sampaoli e Fernando Diniz: estilos parecidos, resultados diferentes

A torcida palmeirense não é a única na onda dos técnicos de fora. César Martins*, torcedor do São Paulo, está feliz com o Cuca, mas também gosta da ideia de Jesus, Sampaoli e companhia. “Sempre gostei da ideia de ver um técnico estrangeiro no São Paulo. Gostava muito das ideias do Osorio, por exemplo. E agora vendo Flamengo e Santos liderando com os gringos no comando, fiquei cada vez mais convencido de que a solução pode vir de fora”, disse.

César, assim como o torcedor palmeirense, acredita que os treinadores brasileiros estão um pouco ultrapassados. “Precisam se reciclar, principalmente os mais experientes”, concluiu.

Wilson Neto, que torce para o Coritiba, vai além. Na opinião dele, os brasileiros têm alguns vícios. “Um vício muito comum que vejo entre os técnicos brasileiros é cair numa zona de conforto tática e com o passar do tempo deixar o time refém de um ou dois jogadores de maior qualidade no elenco, para conseguir os bons resultados”, opina.

Sampaoli arrow-options
Reprodução
Jorge Sampaoli também tem bons números com o Santos


Ele ainda diz que os treinadores estrangeiros parecem ter uma noção melhor de futebol coletivo. “Acho que por questão cultural, tendo em vista que, por lá, o futebol deles não gera tantas estrelas quanto o futebol brasileiro”, completou.

Leia também: Apenas cinco treinadores foram campeões por Palmeiras e Corinthians

Vale ressaltar que o Flamengo, atual líder do Brasileirão, tem o aproveitamento de 66,67% no clube, superando os 62,4% deixados por Abel. Porém, enquanto o português atuou apenas no Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores, o ex-treinador teve boa parte de seus jogos no Campeonato Carioca, o que ajuda a explicar os técnicos estrangeiros .

    Leia tudo sobre: Futebol