Tamanho do texto

Imagens foram gravadas dentro de vagão do transporte após jogo no Maracanã. Dois rapazes sofreram fraturas após serem atingidos com golpes de cassetete e ainda foram expulsos da estação

Seguranças do metrô agrediram torcedores do Fluminense arrow-options
Reprodução
Seguranças do metrô agrediram torcedores do Fluminense

Seguranças do Metrô do Rio de Janeiro foram flagrados agredindo torcedores do Fluminense que voltavam do jogo do time tricolor contra o Corinthians no Maracanã, na noite desta quinta-feira (29).

Leia também: Ganso é intimado por oficial de justiça após jogo em Itaquera: "Assunto pessoal"

As imagens foram gravadas dentro de um vagão do transporte na estação que leva o nome do estádio, na Linha 2. Dois rapazes sofreram fraturas após serem atingidos com golpes de cassetete dos seguranças do metrô e ainda foram expulsos da estação. A concessionária que administra o serviço repudiou o episódio e disse que os funcionários envolvidos serão demitidos.

O estudante Andrew Santos, 18 anos, se disse indignado com a forma que ele e outros torcedores do Fluminense foram tratados. "Vou ter que passar por uma cirurgia, porque o médico disse que pode prejudicar o movimento da mão. Estou com os braços todo arrebentados, com as marcas dos cassetetes, pela covardia que esses que se dizem seguranças do metrô fizeram comigo", desabafa.

Dois vídeos mostram o excesso dos seguranças, agredindo torcedores com golpes de cassetetes. Segundo Felipe Fernandes, 24 anos, que teve o dedo indicador quebrado, a confusão começou na entrada dos trens, quando uma porta travou e houve demora para os torcedores entrar, sendo empurrados pelos agentes.

"Eu estava descendo a escada e vi eles empurrando as pessoas para dentro do metrô, entre eles meus amigos. Fui tirar a galera do meio e falei que estava tranquilo, fui afastando todo mundo, um dos seguranças até concordou. Quando a porta começou a fechar, outros seguranças começaram a bater com o cassetete para entrarmos no metrô".

Leia também: Cambistas são presos com ingressos de jogos de Fluminense e Flamengo no Maracanã

Dentro do vagão havia crianças, idosos e mulheres, que ficaram no meio da confusão . "Fizeram uma covardia desnecessária. Fui tirar todo mundo da confusão e fizeram isso. A gente não fez nada", falou.

Felipe tinha uma prova prática para a próxima terça-feira para tirar a carteira de habilitação para dirigir caminhões e micro-ônibus, mas terá que cancelar por conta da fratura no dedo. Um amigo dele também fraturou um dos dedos e vai precisar passar por cirurgia.

Ele e outros amigos vão procurar a polícia ainda nesta sexta-feira para registrar o caso e fazer exame de corpo de delito. Felipe disse que pretende processar a Metrô Rio. "Após eu ficar com o dedo inchado, pedimos ajuda aos seguranças e expulsaram a gente da estação na marra, mandaram a gente se virar e pegar outra condução", disse.

Leia também: ESPN vira piada na web com transmissão de Corinthians x Fluminense

Em nota, o MetrôRio disse que "repudia o lamentável episódio de ontem" e que os  seguranças do metrô envolvidos serão desligados. "A empresa considera o comportamento dos agentes inaceitável e incompatível com seus valores e princípios", diz o texto. "O MetrôRio reforça seu compromisso com os usuários e vai prestar todo tipo de auxílio aos clientes e à polícia durante as investigações", concluiu.