Tamanho do texto

Algumas torcidas organizadas são o início de uma carreira criminosa para jovens, uma verdadeira pré-escola do crime

Violência no futebol requer punições severas arrow-options
VANESSA CARVALHO/BRAZIL PHOTO PRESS/Arquivo iG
Violência no futebol requer punições severas

Há anos, os estádios de futebol brasileiros têm sido palco de inúmeros episódios de violência, como o que ocorreu há duas semanas na partida entre Grêmio e Internacional, onde uma torcedora do Inter hostilizou mãe e filho , que eram do clube rival.

Leia também: Mãe e filho gremistas são agredidos por colorados no Beira-Rio; assista

No último mês, houve também violência na disputa entre Corinthians e Flamengo, pela 11ª rodada do Brasileirão, que resultou na proibição da entrada nos estádios da Camisa 12 - uma das maiores torcidas organizadas do clube paulista.

Para Marco Vicenzo, advogado e procurador de justiça do TJD-DF (Tribunal de Justiça Desportiva do Distrito Federal), algumas dessas torcidas organizadas  se transformaram em verdadeiras facções criminosas

"A cada dia têm criado mais vínculo com o crime organizado. Isso faz com que algumas torcidas sejam o início de uma carreira criminosa para jovens, uma verdadeira pré-escola do crime. Ainda assim, existem outras torcidas que fazem muito bem o belo papel de apoiar e incentivar seus clubes de forma brilhante", disse.

Como estratégia para minimizar os atos de violência nos estádios, tramita na Câmara dos Deputados um projeto de lei (PL 3427/19) que cria um disque denúncia para combater a violência nos estádios.

No entanto, é importante concentrar os esforços na segurança pública de uma forma geral, ficando a cargo dos comandos policiais a forma de abordagem e estratégia para evitar e diminuir a violência nos estádios.

Leia também: Imagens mostram torcedor que xingou Jair Bolsonaro sendo detido; assista

"A torcida única nos estádios também tem sido a medida adotada para diminuir o número de brigas. Porém, eu não acredito na eficácia desta alternativa, além de estragar a graça do futebol. É necessário que os torcedores aprendam a torcer de forma civilizada, sem atacar os torcedores do time rival", disse  Marco Vicenzo .

"É preciso punir severamente qualquer prática que incite a violência, tanto das torcidas organizadas como dos próprios jogadores que, com condutas totalmente anti-desportivas, podem acabar incentivando seus torcedores. As punições devem servir como exemplo para mostrar que o Estado está presente e que não existe impunidade", continuou.

Advogado Marco Vicenzo arrow-options
Arquivo pessoal
Advogado Marco Vicenzo

Segundo o advogado, a violência nos estádios é um reflexo da sociedade brasileira, não apenas na falta de investimento nas forças policiais, mas principalmente na falta de investimento na educação. "Os governantes devem entender que com educação adequada poderíamos resolver e evitar muitos problemas no futuro", comentou.

"Nós temos muitos problemas importantes a serem resolvidos no Brasil, como segurança, saúde, educação, emprego, entre outros. Entretanto, não podemos ser um país limitado e pensarmos em resolver um problema de cada vez. Os impostos que pagamos são altos o suficiente para termos uma excelente prestação de serviço em todos os setores", disse Marco, que tem esperança de dias melhores.

"Acredito que em breve teremos paz nos estádios e que as famílias poderão voltar a se alegrar com as coisas simples. Os pais poderão levar seus filhos para os jogos com tranquilidade, o brasileiro pode ter alegrias e momentos de diversão. Envidarei esforços para ajudar a corrigir irregularidades nos estádios e irei colaborar para reduzir a violência entre jogadores e torcedores. O melhor futebol do mundo poderá voltar a sorrir", finalizou.

    Leia tudo sobre: futebol