Tamanho do texto

Lateral-esquerdo Davison Cleber Honorato tinha 23 anos de idade e nesta temporada defendeu as cores do Batatais no Paulistão Série A2

Davison Cleber Honorato tinha 23 anos de idade e era jogador do Batatais, do interior de SP
Arquivo pessoal
Davison Cleber Honorato tinha 23 anos de idade e era jogador do Batatais, do interior de SP

O futebol brasileiro amanheceu de luto nesta quinta-feira com a morte de  Davison Cleber Honorato , jogador do Batatais, clube do interior de São Paulo.

Leia também: Rádio oficial do Botafogo chama São Paulo de "Bambi" e cria polêmica

De acordo com informações do site "Revide", da região de Ribeirão Preto, o jogador  foi morto a facadas após tentar separar uma briga durante um rodeio na cidade de Jaboticabal, na madrugada de quarta para quinta.

Segundo o Boletim de Ocorrência, um conflito generalizado aconteceu por volta das 00h30 e, durante a confusão, Cleber foi esfaqueado na região do abdômen.

Leia também: Neymar é imaturo e pai se perdeu com dinheiro, diz livro sobre o craque

Quando os policiais chegaram, seguranças do evento auxiliaram na busca pelos suspeitos. Três homens foram abordados pelos agentes, que encontraram um canivete com um deles, mas o trio foi liberado após prestar depoimento.

Cleber Honorato era natural da própria cidade de Jaboticabal e tinha 23 anos de idade. O lateral-esquerdo disputou a última edição da Série A2 do Paulistão pelo Batatais , mas teve passagens por Grêmio Prudente, Ponte Preta e XV de Piracicaba.

Revolta da família

Davison Cleber Honorato tinha 23 anos de idade e era jogador do Batatais, do interior de SP
Arquivo pessoal
Davison Cleber Honorato tinha 23 anos de idade e era jogador do Batatais, do interior de SP

Alguns familiares se manisfestaram nas redes sociais para falar sobre a morte do atleta. 

Leia também: Zidane surpreende e anuncia saída do Real: "Decisão minha, e posso errar"

"Meu primo foi covardemente morto por jovens que estavam dentro de uma briga generalizada, em um local onde há tanta segurança e uma equipe que faz revista pessoal, um jovem dentro das dependências do recinto estava com uma faca. Hoje estamos de luto e um pai e uma mãe que não podemos imaginar a dor, a tristeza. Meu primo deixa uma filha de 3 anos. Não sei o motivo da briga mas a única coisa que sei, é como o ser humano em seus momentos pode fazer tanta maldade, sem si quer pensar na dor do outro, uma vida se foi e nós da família levaremos esta dor, uma morte sem razão, sem motivos", disse uma prima do jogador Cleber.

    Leia tudo sobre: Futebol