Tamanho do texto

Zagueiro corintiano lembrou do desabafo do presidente do Palmeiras logo após a partida; clube alviverde afirma que houve interferência externa

O pedido do Palmeiras para anular a partida final do Paulistão , que deu o título ao Corinthians , no último domingo, não foi levado a sério pelos jogadores alvinegros. A diretoria alviverde argumenta que houve interferência externa na decisão do árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza em anular o pênalti de Ralf em Dudu, no segundo tempo.

Leia tmbém: Palmeiras pede anulação da final após novas imagens de interferência externa

Balbuena beija a taça de Campeão pPaulista de 2018
Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians
Balbuena beija a taça de Campeão pPaulista de 2018

Por conta da postura palmeirense, o zagueiro do Corinthians , Balbuena , ironizou o pedido de invalidar a partida e também a declaração do presidente do Palmeiras , Maurício Galiotte, que chamou a competição de "Paulistinha" depois do clássico.

"Eles falaram que era um 'Paulistinha' e agora estão querendo voltar atrás? Não acredito que querem voltar um jogo por causa de um lance errado. Se eles ganhassem o título com um pênalti que não foi, seria um campeonato manchado? Enfim, eles vão fazer a parte deles", afirmou o zagueiro paraguaio à ESPN Brasil .

Outros jogadores, como Cássio e Fagner falaram sobre a conquista e o pedido do Palmeiras.

"Pelo que vi a briga do Palmeiras é com a Federação, não falaram do Corinthians em nenhum momento. Nós somos felizes. Isso é problema deles. Já nos apresentamos focados em domingo agora. Fomos campeões com trabalho. Agora a gente está focado no Brasileirão", disse o arqueiro.

Leia também: Presidente do Palmeiras polemiza e Emerson Sheik responde: "É um doente mental"

"Nós no Corinthians não temos que nos meter nada. Fomos lá, fizemos nosso papel, revertemos uma desvantagem, vencemos nos pênaltis. Eles estão no direito dele, mas não temos que nos meter, já curtimos o momento, a conquista e isso ficará marcado na nossa história e carreira", afirmou o lateral direito.

Confira a nota do Palmeiras

"As imagens das câmeras de segurança do Allianz Parque, aliadas a outros videos de emissoras de televisão amplamente divulgados, comprovam mais uma vez e agora, de maneira inequívoca e irrefutável, que houve interferência externa para a alteração de uma marcação convicta da arbitragem em campo.

Considerando que trata-se de violação clara das normas da IFAB (International Football Association Board) e do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva), que deve resultar invariavelmente na anulação da partida, o Palmeiras aguardará o pronunciamento imediato das entidades administrativas do esporte a respeito das providências sobre o assunto, sob pena de adotar todas as medidas cabíveis para garantir a lisura da competição e os seus direitos."

Confira a nota da FPF

"São Paulo, 10 de abril de 2018

Em respeito ao torcedor, a Federação Paulista de Futebol vem novamente a público prestar os seguintes esclarecimentos:

1- Como responsável pela avaliação da equipe de arbitragem, Dionísio Roberto Domingos estava legitimado a permanecer no entorno do gramado, onde ficou durante a partida inteira. Nem ele nem nenhum diretor da entidade teve qualquer influência na decisão da equipe de arbitragem na final do Campeonato Paulista de 2018;

2- As imagens veiculadas pelo site da Sociedade Esportiva Palmeiras não provam nenhuma interferência externa na decisão dos árbitros, de voltar atrás na marcação de um pênalti inexistente;

3- A FPF lamenta qualquer ação que vislumbre modificar o resultado de campo nos tribunais;

4- Por fim, a FPF informa que está atenta às reivindicações feitas pelo Palmeiras por meio da imprensa e afirma que, em coerência com todas a atitudes desta gestão, colocará as propostas em pauta para que os clubes, soberanamente e em colegiado, decidam a respeito da gravação das conversas entre os árbitros e da adoção do VAR para o Paulistão-2019.

Reinaldo Carneiro Bastos
Presidente da Federação Paulista de Futebol"

Entenda o caso

Presidente do Palmeiras reclamou da arbitragem, que anulou o pênalti no clássico
Twitter/Reprodução
Presidente do Palmeiras reclamou da arbitragem, que anulou o pênalti no clássico

Aos 26 minutos do segundo tempo, o árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza marcou pênalti em lance de Ralf com Dudu. Após muita pressão dos corintianos e, pelo menos, oito minutos parados, conversa com os auxiliares e confusão dos dois times, ele voltou atrás, corretamente, e deu apenas escanteio para os donos da casa.

O presidente do clube alviverde, Maurício Galiotte, reclamou muito da arbitragem em entrevista na zona mista após o apito final. Chegou a falar que "o que aconteceu é uma vergonha, um exemplo muito ruim que o futebol brasileiro dá". Ele também afirmou que houve interferência externa na decisão de Marcelo Aparecido.

Leia também: Conselheiros do Palmeiras querem Paulista só com a base e propõem mudanças; veja

"Não ganhamos a partida, porém houve interferência externa. O que o Palmeiras acha disso tudo? Que é uma vergonha! O Palmeiras é muito maior do que o paulistinha. Nós vamos brigar por coisas grandes. Não vamos ficar preocupados com uma situação absolutamente vergonhosa", disse o mandatário.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas